TRT-18 promove remoção coletiva de 12 magistrados

Desembargador-presidente Paulo Pimenta com os juízes removidos pelo critério de antiguidade

Em solenidade realizada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT-18) na manhã desta segunda-feira (21/10), 12 juízes assumiram titularidades de Varas distintas daquelas onde vinham atuando no Estado de Goiás. A posse dos juízes titulares nas novas varas foi realizada no Gabinete da Presidência. A mudança ocorreu em razão da aposentadoria dos magistrados Marilda Jungmann e Luciano Fortini no fim de setembro, o que ocasionou a remoção de juízes, observando-se o critério de antiguidade no cargo.

Durante a solenidade, os magistrados Luiz Eduardo Paraguassu, Antônio Gonçalves, Alciane Margarida, Eunice de Castro, Maria das Graças Oliveira, Jeovana Cunha de Faria, Rosana Padovani, Cleber Sales, Lívia Gondim Prego e Mânia Borges de Pina renovaram o compromisso do cargo na presença do presidente e do vice-presidente do Tribunal, desembargadores Paulo Pimenta e Daniel Viana, respectivamente.

Na ocasião, o juiz Cleber Sales falou em nome dos colegas e destacou o desafio que é assumir a titularidade de uma nova Vara do Trabalho. Ele afirmou que o contingenciamento de gastos no judiciário demanda mais unidade e companheirismo entre os magistrados. “Que sigamos com a mesma determinação e propósito na carreira”, disse, ao lembar que por questões pessoais e objetivas também assume a titularidade da VT de Ceres. Cleber Sales cumprimentou os colegas e desejou a cada um muito sucesso na nova unidade.

O presidente da Amatra18, Alexandre Piovesan, informou que já teve oportunidade de atuar como juiz substituto em todas as varas para as quais os colegas estão migrando e lembrou uma frase do professor Leandro Karnal: “Mudar é doloroso, não mudar é padecer”. Para o juiz, é evidente que a mudança, para todos os colegas nesse momento, leva em consideração, a princípio, uma situação de maior conforto, já que estarão mais perto de casa e da família. Por outro lado, mudar também “traz consigo um grande desafio, o de chegar a uma nova Vara do Trabalho, empreender a sua dinâmica de trabalho, encarar os desafios da jurisdição”. Por fim, desejou sucesso aos colegas e salientou que a Amatra18 está vigilante quanto à reestruturação da Justiça do Trabalho. “O maior poder do juiz é a caneta, a possibilidade de decidir, de mudar a vida das pessoas”, concluiu.

O desembargador Paulo Pimenta declarou que o Tribunal retomou as solenidades de assunção de cargo, destacando que, embora tecnicamente não se trate de uma posse, pois não há mudança de cargo, representa uma mudança de vida, “e as mudanças de vida merecem ser celebradas”. Ele afirmou, ainda, que a mudança de jurisdição “é sempre uma renovação de disposição, de espírito, um recomeço”.

Para o desembargador, é importante que renovemos essas disposições que são tão necessárias principalmente nesse momento de grandes transformações – legislativas, administrativas e orçamentárias – que estamos vivendo. “E nós vamos ter que nos reinventar nesse cenário. Estamos reduzindo nossa força de trabalho, sem perspectiva real de reposição no longo prazo. Então, é importante que estejamos bem dispostos a mudar nossa forma de trabalhar”, assinalou.

Ele mencionou a responsabilidade dos magistrados na gestão das unidades, no fomento a um bom ambiente de trabalho, para que o Tribunal cumpra sua obrigação, que é a entrega de uma prestação jurisdicional de qualidade, com a rapidez necessária, mas que, por outro lado, também que cuidemos uns dos outros. “Mais do que nunca é necessário isso, porque vamos ficar bastante tempo aqui”.

Por fim, parabenizou e desejou sucesso a cada um dos colegas pelas remoções conquistadas. “Reitero a disposição dessa administração para o que estiver ao nosso alcance. Estamos aqui para dar instrumentos e condições para que vocês continuem trabalhando bem e felizes”, concluiu o presidente.

Veja a nova lotação dos juízes que assinaram o termo de assunção de titularidade:

Luiz Eduardo da Silva Paraguassu – removido para a titularidade da 8ª Vara do Trabalho de Goiânia.

Cleuza Gonçalves Lopes – removida para a titularidade da 18ª Vara do Trabalho de Goiânia.

Antônio Gonçalves Pereira Júnior – removida para a titularidade da Vara do Trabalho de Uruaçu.

Alciane Margarida de Carvalho – removida para a titularidade da 1ª Vara do Trabalho de Anápolis.

Eunice Fernandes de Castro – removida para a titularidade da 9ª Vara do Trabalho de Goiânia.

Maria das Graças Gonçalves Oliveira – removida para a titularidade da 7ª Vara do Trabalho de Goiânia.

Cleber Sales – removido para a titularidade da Vara do Trabalho de Ceres.

Jeovana Cunha de Faria – removida para a titularidade da 3ª Vara do Trabalho de Goiânia.

Lívia Gongim Prego – removida para a titularidade da Vara do Trabalho de Luziânia.

Rosana Rabello Padovani Messias – removida para a titularidade da Vara do Trabalho de Inhumas.

Ranúlio Mendes Moreira – removido para a titularidade da Vara do Trabalho de Formosa.

Mânia Nascimento Borges de Pina – removida para a titularidade da Vara do Trabalho de Valparaíso de Goiás.

Diretores de Secretaria que tomaram posse hoje

Em seguida, foi realizada a posse coletiva dos diretores de Secretaria Marcello Pena, Sofia Câmara, Jânio Carvalho, Georges Silvestre, Vanderlei Mendonça, João Paulo Silva, Leonardo Craveiro, Tânia Almeida, Danilo Diniz, Leandro Rodrigues, Franciely Santos e Mário Fontoura.

Setor de Imprensa – TRT-18

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.