Outubro da Tecnologia: desvendando as tecnologias disruptivas

A Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) abriu, nesta segunda-feira (1º/10) o evento “Outubro da Tecnologia” com a proposta de promover ações para desenvolver as habilidades dos usuários para usarem a tecnologia de modo “a fazer mais com menos”.

A abertura foi feita pelo presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (Goiás), desembargador Platon Teixeira Filho. Ele cumprimentou a STI, na pessoa de seu diretor Hugo da Silva, pela iniciativa de divulgar as tecnologias disruptivas. O presidente salientou a necessidade de esclarecer e divulgar o potencial de agilidade e execução de tarefas proporcionadas pelas tecnologias disruptivas por meio das ferramentas adquiridas pelo TRT.

Outubro da Tecnologia

Em seguida, o diretor da STI apresentou a iniciativa e seus objetivos de proporcionar aos usuários o amplo conhecimento das ferramentas disponíveis básicas e avançadas dos sistemas já utilizados no tribunal. De acordo com o diretor da STI, as oficinas também apresentarão o novo Gabinete Virtual, que facilitará as rotinas de trabalho e produção das unidades do interior e dos usuários em teletrabalho, e também o tratamento da Segurança da Informação no tribunal.

Hugo da Silva destacou a importância da divulgação dentro do tribunal sobre a inteligência artificial. Ele divulgou a existência de um acordo de cooperação técnica entre o TRT18 e a Universidade Federal de Goiás, em que os servidores que cursam o mestrado terão seus trabalhos baseados em problemas reais do tribunal. “Isso é importante. Essa parceria proporciona ir além do que a própria TI consegue alcançar para solucionar nossos problemas e rotinas do trabalho”, salientou, destacando a necessidade do conhecimento mais amplo sobre inteligência artificial.

Por fim, o diretor informou a existência do levantamento de demandas em que todos os usuários do tribunal poderão participar por meio de um formulário do Google (https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSexbV4o0BH4IVGtLIw2pbvba6p0Q2OafEFdVRZ1kyKcB-5_rg/viewform). Essas sugestões serão utilizadas para o projeto da STI para o próximo biênio.

Inteligência Artificial

O professor doutor Celso Gonçalves Camilo trouxe para os servidores do tribunal o tema “Tecnologias disruptivas”. Ele ressaltou a excelência do tribunal com a iniciativa de abrir a tecnologia para debate, pois a transformação digital afeta as organizações sociais à medida em que avança. Ele falou sobre a necessidade de se incrementar a produtividade com o uso da tecnologia, inclusive como forma de valorizar o Serviço Público tanto no viés de quem trabalha nas instituições públicas como os contribuintes.

Celso Camilo abordou a inteligência artificial e como ela será fundamental para o Judiciário, seja na parte administrativa ou judicial. Ele citou como exemplo a existência de chatbots, robos de inteligência artificial, que conversam com as pessoas e passam a resolver problemas sem a intervenção humana.

Questionado sobre os postos de trabalho, o palestrante afirmou que a sociedade está passando por uma ampla reestruturação, e as pessoas precisarão se qualificar a curto prazo, para atenderem as demandas de um novo perfil de emprego. “O trabalho será realocar as pessoas nas novas vagas que estão surgindo ou repensar a forma do atual sistema que o mundo está discutindo”, afirmou ele, de forma a evoluir para um mundo melhor.

Projetos de Inteligência Artificial

O mestrando Sávio Sampaio, servidor do TRT18, apresentou os projetos desenvolvidos em seu mestrado na UFG, principalmente sobre algoritimos genéticos e redes neurais artificiais. Tais projetos contribuem para a busca e otimização de problemas com maior eficiência e economia.

Sávio Sampaio exemplificou seus projetos de algorítimos genéticos com a economia proporcionada pelas rotas desenvolvidas por uma ferramenta de uma empresa de entregas.

Já o sistema de rede neural, o mestrando observou que com parâmetros alimentados as ferramentas podem identificar dados, extraí-los e editar para que os servidores usem e otimizem seus trabalhos. Ele citou que dentro do Poder Judiciário, uma das atividades que seriam facilitadas por essa tecnologia seria a realização de cálculos de cartões de ponto. Sávio Sampaio afirmou que a inteligência artificial pode ajudar na tomada de deciões, na economia de tempo e de recursos e na antecipação de trabalhos repetitivos.

Confira aqui a programação do Outubro da Tecnologia. Ainda dá tempo para fazer a sua inscrição!

Cristina Carneiro
Setor de Imprensa – CCS

Adicionar o link permanente aos favoritos.

Os comentários estão encerrados.