Programa Trabalho, Justiça e Cidadania entrega premiação de concurso de redação a estudantes de escolas públicas da cidade de Goiás

Facebooktwitteryoutubeinstagram

Cerca de 60 alunos do 5º ano de quatro escolas públicas da cidade de Goiás participaram na manhã desta quinta-feira (14/11) da solenidade de premiação do concurso de redação promovido pela Associação dos Magistrados do Trabalho da 18ª Região (Amatra18). O concurso teve como tema, “o futuro do trabalho digno”. A iniciativa faz parte do programa Trabalho, Justiça e Cidadania (TJC), iniciado em agosto deste ano com a prévia capacitação de diretores e professores para ensino lúdico de direito e cidadania, com destaque para utilização em sala de aula da Cartilha do Trabalhador.

Em sua fala, o presidente da Amatra18, juiz Alexandre Piovesan, agradeceu a todos os parceiros do programa que tem como objetivo principal “formar as crianças para o futuro”. Ele ressaltou que a expectativa é levar a ação para todo o Estado sempre contando com o apoio do TRT, Ministério Público do Trabalho em Goiás, Secretarias Municipais e Estadual de Educação e empresas amigas. Na ocasião, ele destacou a iniciativa do empresário Hugo Perillo Vieira, da São Salvador Alimentos, que patrocinou brindes para as crianças. “É sempre bom contar com empresas que entendem que têm uma finalidade que vai muito além da atividade econômica e se engajam socialmente em projetos como este”, afirmou.

Ele agradeceu ainda a contribuição da prefeita da Cidade de Goiás, Selma Bastos, da secretária municipal de Educação, Ângela Fonseca, e do Comandante do Batalhão Escolar, Tenente-coronel Marcos Luciano de Lima, e toda a equipe da Polícia Militar presente no evento, além de ressaltar a participação dos advogados Haroldo Filho e Haroldo Neto, que fizeram parte da comissão avaliadora das redações.

Para o desembargador Paulo Pimenta, presidente do TRT, as crianças são as protagonistas do projeto. “O melhor aproveitamento desse espaço é quando abrimos as portas para a comunidade”, disse o presidente, que se emocionou com a presença das crianças ao lembrar de sua própria história. Já o procurador-chefe do MPT em Goiás, Tiago Ranieri, mencionou a importância do projeto no resgate da cidadania e dignidade. “Somos atores políticos e temos que ter o olhar sensível para enxergar o trabalho infantil como vulnerabilidade e possibilitar que as crianças se tornem adultos qualificados para ingressar no mercado de trabalho”, disse.

A juíza Andressa Kalliny, que percorreu as quatro escolas e falou com alunos do 5º ano de sete turmas em Goiás, junto a magistrada Wanessa Vieira, destacou o apoio dos professores e coordenadores ao TJC, cujo envolvimento tornou possível trabalhar com a Cartilha do Trabalhador. Ela também destacou o empenho e a dedicação dos servidores da Vara do Trabalho de Goiás e dos advogados que atuam na jurisdição e que acompanharam as atividades do TJC no município. “Vi e senti as crianças engajadas, tentando entender as questões sociais que as envolvem e é uma ação voluntária que só tem a agregar às nossas vidas”, disse a magistrada.

Em seguida, o major Sandro Rezende proferiu palestra sobre a profissão de policial, estrutura e organização da PM no Estado, motivo de orgulho dos pequenos estudantes que, em sua maioria, sonham com a carreira militar. “É muito bem-vinda a integração entre os diversos profissionais neste Programa”, assinalou.

A psicóloga Marina Cançado também falou com os estudantes sobre profissões e a cultura da paz. Ela ressaltou a importância de os jovens exercitarem a empatia e deixarem as redes sociais um pouco. Ao perguntar para a plateia o significado da palavra, Marina se surpreendeu com a rápida e precisa resposta das crianças que já tinham estudado o tema. “Se colocar no lugar do outro”, responderam em coro.

Por fim, a prefeita da Cidade de Goiás, Selma Bastos, elogiou o projeto e os resultados que surpreenderam a todos. “Gostaria de externar a minha gratidão pelo belíssimo programa”, reconheceu.

Premiação

Maria Luyza Rodrigues, 11 anos, obteve o 3º lugar no concurso de redação: “Achei bem legal porque é uma lembrança importante para quando eu crescer”, disse

O programa TJC premiou os três primeiros colocados no concurso de redação. As estudantes vencedoras Maria Gabriela, 1º lugar, Diully Kevellin Chaves, 2º lugar, e Maria Luyza Rodrigues, 3º lugar, receberam um tablet que também foi entregue aos professores Jovani Borges, da Escola Municipal Cora Coralina, e Cláudia Santana, da Escola Municipal Sonho Infantil. Os computadores foram doados pela São Salvador Alimentos e pelo escritório de advocacia Haroldo Neto. Em seguida, todos os professores envolvidos com o projeto receberam certificado de participação e houve sorteio de uma bicicleta doada pela Polícia Militar.

A menina de 11 anos Diully Kevellin Chaves, que ficou em 2º lugar, ficou muito emocionada ao ouvir o seu nome. “Eu não esperava ganhar o prêmio”, afirmou

No final do evento os estudantes apresentaram em poesias, histórias e vídeos o que aprenderam no curso do projeto. Também prestigiaram a solenidade as juízas Ana Deusdedith, Narayana Hannas e Ceumara Soares.

Programa Trabalho, Justiça e Cidadania

O programa é uma iniciativa da Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra) desde 2004. É desenvolvido, regionalmente, pelas Amatras, Associações de Magistrados de cada Estado ou região do país. Mais de 150 mil pessoas já foram alcançadas pelo programa, incluindo mais de 15 mil educadores em 22 estados e no Distrito Federal. Por meio do programa, juízes do Trabalho em parceria com membros do Ministério Público, advogados, professores de Direito e servidores do Judiciário, levam noções básicas de Direitos Fundamentais, Direito do Trabalho, Direitos da Criança e do Adolescente, Direito do Consumidor, Direito Penal, Ética e Cidadania nas escolas, especialmente as públicas, de diversos estados e municípios.

A estudante Iskaylane Silva com o presidente Paulo Pimenta, após ganhar de presente uma bicicleta doada pela PM

Entre as ações realizadas, o programa possibilita a visita dos alunos a instituições do Poder Judiciário, entre outras atividades em que alunos participam com o acompanhamento de professores e juízes. Outro instrumento utilizado pelo programa é a Cartilha do Trabalhador. Elaborada em linguagem simples e atrativa, permite ensinar direitos e deveres do cidadão, assim como o funcionamento da Justiça do Trabalho, de forma didática. Clique aqui e assista ao vídeo sobre o programa.

Estudantes recebem brindes doados pelo MPT-GO, pelo Programa de Combate ao Trabalho Infantil e pela empresa São Salvador Alimentos

Como se voluntariar

Juízes, servidores, procuradores, advogados e demais interessados em se voluntariar para participar das atividades do programa Trabalho, Justiça e Cidadania devem entrar em contato com a Amatra-18 pelos telefones (62) 3285-4863/5337 ou pelo e-mail secretaria.amatra18@gmail.com

A visita a Goiânia foi encerrada com almoço patrocinado pelo Instituto Flamboyant

Leia mais: http://www.trt18.jus.br/portal/juizes-do-trabalho-lancam-concurso-de-redacao-para-escolas-publicas-da-cidade-de-goias/

Setor de Imprensa/TRT-18

Facebooktwitter

Esta matéria tem cunho meramente informativo, sem caráter oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Comunicação Social
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região
comunicacao@trt18.jus.br

Esta entrada foi publicada em Notícias, TRT18. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.