Luciano Crispim toma posse como juiz auxiliar da vice-presidência

Luciano Crispim é o titular da 13ª Vara do Trabalho de Goiânia e atua há 26 anos na magistratura trabalhista

Em solenidade realizada na última sexta-feira (8/2), o desembargador vice-presidente, Daniel Viana Júnior, deu posse a Luciano Crispim no cargo de juiz auxiliar da Vice-Presidência. A cerimônia foi realizada na sede da Associação dos Magistrados do Trabalho da 18ª Região (Amatra18), às 15 horas.

Na ocasião, o magistrado Luciano Crispim ressaltou que irá reforçar o diálogo e a interação com os juízes e dar seguimento ao bom trabalho desenvolvido por Kleber Waki, que foi juiz auxiliar da vice-presidência na gestão anterior. “É uma honra assumir esse cargo e quero ressaltar a simbologia de tomar posse na Amatra, o que demonstra a interação já existente com os magistrados”, destacou Crispim. Ele prometeu promover uma boa interlocução entre a administração e os juízes atendendo, dentro do possível e da lei, os anseios de todos.

Presentes à solenidade (da esquerda para a direita): o secretário-geral da Presidência, Thiago Domiciano de Almeida, o presidente da Amatra18, juiz Cleber Sales, e os desembargadores Mário Bottazzo, Daniel Viana Júnior e Welington Peixoto, além de servidores e familiares do empossado

O vice-presidente, desembargador Daniel Viana Júnior, elogiou a iniciativa do desembargador Paulo Pimenta, então corregedor do TRT, que criou o cargo de juiz auxiliar e promoveu uma ligação com o primeiro grau de jurisdição. “O juiz auxiliar vai sentir mais de perto todos os problemas e angústias do primeiro grau”. Daniel Viana Júnior ressaltou que entre juízes e desembargadores existem os mesmos anseios e obrigações e apenas funções diferentes dentro do momento processual. “O que brigam são as ideias e nos próximos dois anos continuaremos a pensar no bem do Tribunal e na qualidade de vida dos colegas”, concluiu.

O presidente da Amatra18, juiz Cleber Sales, falou do desafio diferente do cargo exatamente por ser algo novo após a ampliação da competência da vice-presidência. Ele ressaltou a transparência e ética no exercício do cargo pelo juiz Kleber Waki. “Estamos à disposição para trabalhar as matérias comuns e isso reflete a nossa transparência e abertura para o diálogo nas causas que nos são comuns, ressalvando a nossa independência”, assinalou. O magistrado pontuou o atual estágio de evolução no diálogo entre as duas instituições e desejou um futuro “alvissareiro” à nova gestão. Veja a galeria de fotos abaixo.

Fabíola Villela
Setor de Imprensa

 

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.