Dirigentes de órgãos do sistema de Justiça de Goiás assinam Protocolo de Intenções Sustentáveis

IMG_2322O Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região sediou, na tarde de hoje, quinta-feira, 2 de junho, o encontro de dirigentes de órgãos do sistema de Justiça de Goiás para assinatura do Protocolo de Intenções Sustentáveis. O evento faz parte da 4ª Semana de Responsabilidade Socioambiental do TRT Goiás e contou também com debate entre os responsáveis pela área socioambiental de cada instituição para a troca de boas práticas e experiências na área.

A gestão adequada dos resíduos, com a valorização das cooperativas de catadores, está entre os itens de destaque do Protocolo, que também pretende promover reuniões periódicas para a cooperação entre as partes no que se refere ao desenvolvimento sustentável.

IMG_2407Estiveram presentes e assinaram o documento o Desembargador Aldon do Vale Alves Taglialegna, Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região; Desembargador Luiz Eduardo de Sousa, Coordenador do Núcleo de Responsabilidade Social e Ambiental do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás; Procurador Marcello Santiago Wolff, Procurador-Chefe do Ministério Público Federal – Procuradoria da República em Goiás; Procurador Lauro Machado Nogueira, Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público do Estado de Goiás; Procuradora Cláudia Telho Corrêa Abreu, Procuradora-Chefe em Exercício do Ministério Público do Trabalho – Procuradoria Regional do Trabalho da 18ª Região; Juiz Federal Carlos Roberto Alves dos Santos, Diretor do Foro da Justiça Federal de Primeiro Grau em Goiás; Juiz Fabiano Abel de Aragão Fernandes, Juiz Membro do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO).

Na mesma oportunidade, foi lançada a Exposição de Totens com os 25 Momentos Marcantes do TRT de Goiás, dispostos na entrada do Fórum Trabalhista de Goiânia, que contam a história deste Regional em seus 25 anos de instalação.

Boas Práticas Socioambientais
IMG_2442Lara Nercessian, chefe do Setor de Responsabilidade Socioambiental do TRT-GO, abriu a exposição da primeira reunião para compartilhamento de boas práticas socioambientais entre os órgãos do Sistema de Justiça signatários do Protocolo de Intenções Sustentáveis.

A servidora ressaltou a importância de uma unidade socioambiental com servidores de dedicação exclusiva para o efetivo andamento das ações de sustentabilidade. Após, destacou as campanhas lançadas nos três anos de criação do Setor de Responsabilidade Socioambiental no TRT-GO que contribuíram para a redução do consumo de recursos como energia, papel e copos descartáveis, além de colocar em prática a coleta seletiva de resíduos no órgão.

IMG_2457Em seguida, Ludmila Déroulède, do Ministério Público Federal, compartilhou algumas das boas práticas do órgão, que teve que reduzir horário de trabalho para economia de energia. A preocupação com o lixo também foi manifestada pelos servidores do MPF, que fizeram visitas ao aterro sanitário de Goiânia: “a altura daquelas montanhas de resíduo é algo assustador”, realçou Ludmila. Visitas às cooperativas de reciclagem e às famílias que vivem disso também foram feitas com o objetivo de sensibilizar os trabalhadores do órgão para a importância de separar corretamente o lixo, uma vez que o sustento de muitas famílias depende dessa coleta.

IMG_2465Victor Cruz, do Tribunal Regional Eleitoral, realçou a importância de se alertarem as pessoas, através de comunicações instigantes, acerca do impacto ambiental do seu consumo: “são 1300 toneladas de lixo recolhidas diariamente por estes aterros, muito desse material poderia ter deixado de ser jogado no meio ambiente”, enfatizou. Ele narrou uma das campanhas lançadas no TRE para a economia de energia na troca do elevador pelas escadas. A mensagem trazia dados bastante exemplificativos desta economia: “que tal usar as escadas? Em um mês você perde até 3Kg e o TRE economiza energia para ligar 145 computadores”.

IMG_2471Gisele Ferreira, do Ministério Público de Goiás, compartilhou a sua experiência com o Prêmio de Redução de Consumo de Materiais de Impressão, que só no primeiro ano gerou uma redução de mais de 1700 resmas de papel e 400 toners de impressão. Também falaram Eduardo Borges, do Tribunal de Justiça de Goiás, e Ronaldo Borges e Caio Sotero, ambos da Justiça Federal – Seção Goiás.

Ao final, foram levantados os tópicos de maior relevância para futura atuação do grupo. De acordo com Lara Nercessian, o primeiro passo será promover a criação de uma unidade de gestão socioambiental nos órgãos do Sistema de Justiça de Goiás que ainda não possuem essa estrutura, nos moldes previstos na Resolução 201 do CNJ, em que a unidade deve contar, no mínimo, com um servidor exclusivo para esse fim. De todos os sete órgãos participantes, apenas o TRT-18 e o TJ-GO possuem uma unidade socioambienal neste formato.

Lídia Barros – Seção de Imprensa – TRT Goiás

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.