Aumento da produtividade e alto índice de cumprimento da Meta 1 do CNJ são destaques em correição na 3ª VT de Goiânia

Equipe da 3ª VT de Goiânia com o corregedor regional do TRT18

O considerável aumento da produtividade da 3ª Vara do Trabalho de Goiânia em 2017 foi destacado pelo corregedor regional do TRT18, desembargador Paulo Pimenta, na correição realizada naquela unidade no último dia 2.

No ano passado, o índice de processos julgados pela Vara alcançou 118%, muito acima daquele aferido em 2016 (87%). A 3ª VT também foi a unidade que mais solucionou processos na 18ª Região em 2017, conforme registrado na ata correicional.

Na análise do desempenho da Vara quanto ao cumprimento das metas propostas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ao primeiro grau em 2017, a 3ª VT da capital conseguiu atingir 4 das 7 metas.

O melhor resultado foi obtido na Meta 1 (julgar 90% da quantidade de processos de conhecimento distribuídos no ano passado). A Vara recebeu 2.123 processos e solucionou 2.498, atingindo o percentual de 130,7% no cumprimento da meta. Paulo Pimenta parabenizou os juízes titular, Luciano Fortini, e auxiliar, Eduardo do Nascimento, pelo desempenho, que foi o melhor da unidade nos últimos três anos.

Na apuração referente ao mês de janeiro de 2018, a 3ª VT também tem se destacado na mesma Meta 1, com o percentual de 189,4%.

Demais metas

No ano passado, a 3ª Vara do Trabalho da capital ainda cumpriu mais três metas. A unidade atingiu 105,1% na Meta 2 (julgar processos mais antigos), 102% na Meta 6 (priorizar o julgamento das ações coletivas) e 124,3% na Meta 7 (priorizar o julgamento dos processos dos maiores litigantes).

A aferição dos prazos médios em janeiro de 2018 e o significativo aumento da produtividade da Vara em 2017 sinalizam a manutenção dos índices positivos na unidade.

Desembargador Paulo Pimenta (centro) com os juízes Luciano Fortini (à direita) e Eduardo do Nascimento (à esquerda)

O corregedor ponderou sobre a necessidade de se melhorar o desempenho da unidade no cumprimento da Meta 5 do CNJ, referente às execuções. Nesse sentido, ele reforçou a recomendação sobre o uso das ferramentas tecnológicas e convênios que auxiliam na localização de bens dos devedores e reiterou a recomendação para que os lançamentos das execuções sejam feitos no PJe, visando a alimentar o sistema e-Gestão.

Ao se reunir com toda a equipe da 3ª Vara, Paulo Pimenta agradeceu aos juízes da Vara e aos servidores da secretaria pela valiosa contribuição dada no desempenho do Tribunal em relação às metas nacionais e específicas fixadas pelo CNJ em 2017 para a Justiça do Trabalho.

Setor de Imprensa-CCS

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.