11ª VT de Goiânia aumenta produtividade e cumpre 5 metas do CNJ

Desembargador Paulo Pimenta, o diretor da Secretaria da Corregedoria Regional, Marcelo Marques, e a equipe da 11ª VT

A produtividade da 11ª Vara do Trabalho de Goiânia saltou de 88% em 2016 para 104% em 2017, conforme apurado pela Corregedoria do TRT18 na correição realizada naquela unidade no dia 6 de abril. O desembargador-corregedor Paulo Pimenta parabenizou os juízes Celso Garcia, titular, e Carlos Alberto Begalles, auxiliar, e servidores da Vara por esse incremento na produtividade e também pelo cumprimento de 5 das 7 metas propostas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ao primeiro grau de jurisdição no ano passado.

Outros destaques da unidade foram o controle do prazo médio de entrega da prestação jurisdicional nos processos submetidos ao rito sumaríssimo e a efetiva utilização da ferramenta SABB – Sistema Automatizado de Bloqueios Bancários, o que contribuiu para o ótimo desempenho da unidade no cumprimento da Meta 5 do CNJ em 2017.

Reunião com os juízes

Por outro lado, o desembargador-corregedor mostrou preocupação com o aumento contínuo do prazo médio de duração dos processos submetidos ao rito ordinário e recomendou aos magistrados que atuam no juízo que se esforcem para reduzir esse prazo para patamares inferiores a 180 dias.

O corregedor observou, ainda, que as atividades da secretaria da Vara estão sendo bem desempenhadas pela equipe de servidores, com regular impulsionamento dos processos e observância dos prazos legais, e parabenizou toda a equipe da unidade, na pessoa da diretora Flaviana Bailão, pelo comprometimento e eficiência no desempenho de suas atribuições.

Na ocasião, o juiz Celso Garcia ressaltou o comprometimento da equipe da VT, que ganhou o selo Bronze em 2017, e o bom relacionamento entre todos. “Tudo o que a gente consegue não é para nós, mas para as pessoas que buscam o Judiciário”, concluiu.

Metas

Na análise do cumprimento das metas do CNJ em 2017, a 11ª Vara do Trabalho de Goiânia cumpriu as metas 1 (julgar 90% da quantidade de processos de conhecimento distribuídos no ano passado – índice de 115,8%), 2 (julgar processos mais antigos – índice de 108,8%), 5 (impulsionar e baixar processos na fase de execução, índice de 162,7%), 6 (priorizar o julgamento das ações coletivas, com percentual de 102%) e 7 (priorizar o julgamento de processos dos maiores litigantes, com índice de 106,6%).

Na avaliação do desempenho da Vara em 2018, a 11ª VT cumpriu no período analisado (janeiro e fevereiro) quatro metas do CNJ, as metas 1, 3, 5 e 7, além de cumprir integralmente a meta 2.

Setor de Imprensa-CCS

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.