Trabalho híbrido e Justiça 4.0 foram temas de palestras no primeiro dia da Reunião do Coleprecor

Facebooktwitteryoutubeinstagram
Tiago Alves é branco, usa um blusa escura sobre camisa social e fala ao microfone gesticulando
Tiago Alves, economista e CEO da Regus & Spaces do Brasil, falou sobre hibridismo

O primeiro dia da 5ª Reunião Ordinária do Coleprecor em Porto Alegre, na última terça-feira (21/6), contou com palestras sobre o futuro dos modelos de trabalho e a Justiça 4.0. As exposições ocorreram no Plenário do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) após as falas de abertura do evento. O evento reúne presidentes e corregedores dos 24 Tribunais Regionais do Trabalho do país.

Na primeira palestra, o economista e CEO da Regus & Spaces do Brasil, Tiago Alves, autor do livro “Nem Home Nem Office”, destacou que o hibridismo nas relações de trabalho é uma forte tendência. O palestrante afirmou que, após as revoluções tecnológicas, a próxima grande revolução será a da sociedade. Isso implica uma mudança na percepção sobre o que é uma boa carreira e sobre a forma pela qual as equipes devem se relacionar. “Quando o trabalho é colaborativo e compartilhado, tende a ser muito mais produtivo”, analisou.

Tiago Alves observou que o home office pode ter trazido ganhos de qualidade de vida, gerando mais disponibilidade de tempo. Mas ponderou que ele também pode ter gerado problemas de saúde mental e sobrecarga de trabalho. Também ressaltou que a experiência do home office não foi a mesma para todos. “No Brasil, temos um grande abismo digital: apenas 20% dos brasileiros possuem internet de qualidade em casa”, informou. 

Daniel Viana Júnior, presidente do TRT-18, compôs mesa como secretário-geral do Coleprecor

Ao longo da exposição, defendeu que o modelo híbrido, com parte do trabalho realizado remotamente e parte presencialmente, é o que tende a prevalecer. Assim apareceriam os benefícios do trabalho presencial, como a maior conexão entre as pessoas, e os do remoto, como a flexibilidade de jornada. Além disso, o formato ajudaria a reduzir custos e seria mais inclusivo —  facilitando, por exemplo, a atividade de pessoas com deficiência. Os desafios para empresas e órgãos públicos ao adotar o modelo híbrido, segundo o palestrante, incluem o uso de ferramentas adequadas de gestão. Os profissionais do futuro também precisarão se adaptar e, nesse aspecto, o palestrante mencionou a necessidade de “microtreinamentos”. “Ninguém mais quer esperar dois anos para ter um diploma, as pessoas querem em dois meses ter o conhecimento sobre determinada atividade e já partir para a próxima. E as empresas devem estar prontas para oferecer esses treinamentos”, declarou. 

Leia mais no site do Coleprecor.

Justiça 4.0

Firmo Ferreira Leal é branco, usa terno escuro e camisa social branca e gravata preto e branco. fala ao microfone.
Firmo Ferreira Leal Neto, juiz-auxiliar da Presidência do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), falou sobre Justiça 4.0

A atividade seguinte da 5ª Reunião Ordinária do Coleprecor apresentou um debate sobre a implementação dos Núcleos de Justiça 4.0 no âmbito do Judiciário Trabalhista. Para falar sobre o tema, esteve presente o juiz-auxiliar da Presidência do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), Firmo Ferreira Leal Neto.

Os Núcleos de Justiça 4.0 foram regulamentados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em 2021 e têm como principal diferencial o funcionamento totalmente virtual, com execução de atos processuais de forma digital. No debate, o magistrado analisou as diretrizes estabelecidas pelo CNJ no contexto da Justiça do Trabalho. O juiz trouxe tópicos que estão sendo discutidos em diversos Tribunais quanto à implementação dos Núcleos. Como exemplos, citou questões como a competência ampliada, o número de juízes integrantes dos Núcleos e os critérios de escolha desses magistrados, cumulação de jurisdição, dentre outras.

Leia mais no site do Coleprecor.

Programação 

As atividades do primeiro dia da Reunião Ordinária do Coleprecor no TRT-4 foram encerradas com uma apresentação artística do humorista Jair Kobe (Guri de Uruguaiana). A programação da reunião continua na quarta-feira (22/6), com uma dinâmica entre os presidente e corregedores sobre os desafios e oportunidades para a Justiça do Trabalho. A seguir, a presidente do TRT da 14ª Região (RO/AC) e conselheira do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), desembargadora Maria Cesarineide de Souza Lima, encerrará a programação do encontro com uma abordagem sobre o tema: “Justiça do Trabalho Presente: Uma política pública de ampliação do acesso à justiça”.

Com informações da Secom/TRT-4

Facebooktwitter

Ficou em dúvida quanto ao significado de algum termo jurídico usado nessa matéria?
Consulte o glossário jurídico: www.trt18.jus.br/portal/noticias/imprensa/glossario-juridico/
Esta matéria tem cunho meramente informativo, sem caráter oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Comunicação Social
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região
comunicacao@trt18.jus.br

Esta entrada foi publicada em Notícias, TRT18. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.