Toma posse conselho deliberativo do Cejusc Goiânia

O desembargador Paulo Pimenta ladeado pelos integrantes do Conselho

O vice-presidente e Coordenador do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Disputas do TRT18 (NUPEMEC), desembargador Paulo Pimenta, deu posse aos membros do Conselho Deliberativo do Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Disputas de Goiânia (CEJUSC – Goiânia), instituído para definir projetos e políticas sobre métodos consensuais a serem aplicados na unidade. A cerimônia aconteceu nesta segunda-feira, 04/12, na Secretaria-Geral Judiciária do TRT.

O conselho será coordenado pelo juiz Israel Adourian, sendo composto pelos juízes titulares Marcelo Pedra e Wanda Lúcia da Silva e pelos juízes substitutos Eduardo Thon e Carlos Aberto Begalles. Para a suplência dos juízes titulares foi designado o juiz Kleber Waki e para a suplência dos juízes substitutos a juíza Patrícia Caroline Abrão.

O desembargador Paulo Pimenta ressaltou a importância da criação do Conselho e afirmou que está muito satisfeito e confiante nos magistrados que o integram, “escolhidos democraticamente”, fez questão de destacar. “A criação do Conselho vai contribuir para traçar caminhos mais seguros e acontece num momento muito adequado, com o início da reforma”, comentou. Ele acredita que o Conselho representa uma nova fase para o Cejusc e e culminará no que considera ser o mais importante: “a boa conciliação”.

O desembargdor Elvecio Moura e os juízes Cleber Sales (presidente da Amatra), Luciano Crispim e Ceumara Soares prestigiaram a cerimônia

O vice-presidente acrescentou que na área de conciliação, a 18ª Região tem exercido uma posição de protagonismo e que esse pioneirismo tem um preço, mas também vantagens, uma vez que o modelo de Cejusc adotado pela 18ª Região teve forte influência na elaboração da Resolução 174/2016 do CSJT, que dispõe sobre a política judiciária nacional de tratamento adequado das disputas de interesses no âmbito do Poder Judiciário Trabalhista.

Na análise do coordenador do Conselho, juiz Israel Adourian, o Cejusc Goiânia atingiu a sua maturidade e, novamente, passará por novo momento de evolução, tendo de enfrentar o desafio de buscar a uniformização de procedimentos. Para o juiz Israel, todas as administrações anteriores deram apoio e liberdade para que o centro de conciliação pudesse encontrar as melhores soluções, “tanto que hoje o Cejusc conta com a adesão de todas as 18 varas do trabalho da capital”, afirmou.

Márcia Bueno
Seção de Imprensa – CCS

Esta entrada foi publicada em Notícias, TRT18 e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.