TRT18 adere a twitaço contra as fake news sobre a Justiça do Trabalho. Participe!

Facebooktwitteryoutubeinstagram

Nesta segunda-feira (1º/4), os 24 Tribunais Regionais do Trabalho em todo o país promovem, na rede social Twitter, um twitaço contra as fake news sobre a Justiça do Trabalho. A decisão foi tomada durante a última reunião do Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor), em Brasília.

O TRT de Goiás aderiu à campanha por meio de seu perfil oficial no Twitter – @trtgoias – e convida magistrados, servidores, advogados e o público em geral para participar utilizando no dia as hashtags #meDisseram e #ÉFake em seus perfis no Twitter. A dica é a seguinte: além de curtir e retwitar as postagens que partirão dos perfis oficiais, todos poderão postar mensagens pessoais sobre a temática. As postagens devem seguir a seguinte lógica: uma frase crítica sobre a Justiça do Trabalho + hashtags #meDisseram e #éFake.

O objetivo do Twitaço partindo do gancho do dia dedicado à mentira é dar visibilidade aos danos causados pelas notícias falsas, explicar a importância da Justiça do Trabalho para a sociedade e contestar as campanhas difamatórias que ela vem sofrendo. Quem ainda não possui um perfil no Twitter basta acessar a página oficial e preencher os dados solicitados (nome completo, e-mail e número de celular). Com o perfil criado o usuário já poderá participar da campanha.

Junte-se a nós nesta campanha! Veja algumas sugestões de textos para serem publicadas no Twitaço:

#meDisseram que as leis trabalhistas estão ultrapassadas. #éFake. A legislação trabalhista é a que mais acompanha as mudanças sociais. Dos 510 artigos que compõem a parte de Direito Individual da CLT, apenas 75 permanecem com a redação original. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a legislação trabalhista é caduca.#éFake. Constantemente o Tribunal Superior do Trabalho e os Tribunais Regionais emitem súmulas tratando de temas novos como o Teletrabalho. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho é mais cara que a Justiça comum. #éFake. Enquanto a Justiça comum representou 57,4% do orçamento, em 2017, a Justiça do Trabalho representou 20,1%. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho só existe no Brasil. #éFake. Na Espanha há salas (juizados) especializadas em Direito Social, para tratar de Direito do Trabalho e Previdênciário. Olé! #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que só em países subdesenvolvidos existe Justiça do Trabalho. #éFake. A Alemanha possui cortes de primeira e segunda instâncias e o Tribunal Federal do Trabalho, paralelo ao nosso Tribunal Superior do Trabalho. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho é made in Brasil. #éFake. Na Inglaterra existem os “Employment Tribunals”, bastante similares à nossa JT. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho só existe no Brasil para acalmar a massa operária #éFake. Na Itália, os Juízos do Trabalho são seções especializadas da magistratura, com recurso para um Tribunal com juízes também especializados na matéria laboral. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho é uma jabuticaba, só existe no Brasil. #éFake. Na França, além dos vinhos, temos os famosos “Conseil de prud’hommes”, com estrutura similar às antigas Juntas de Conciliação e Julgamento. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que Justiça do Trabalho só existe em nosso país. #éFake. A Austrália também resolve suas disputas trabalhistas em um tribunal especializado em Direito Laboral, a “Fair Work Comission”. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho só existe no Brasil. #éFake. Até na distante Nova Zelândia existem cortes especializadas em Direito do Trabalho. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que os processos na Justiça do Trabalho são demorados. #éFake. Com a implantação dos processos eletrônicos a agilidade aumentou. Em média, duram de 3 a 5 anos. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho custa mais para os cofres públicos do que paga aos trabalhadores. #éFake. Segundo o Conselho Nacional da Justiça (CNJ), em 2017, ela custou R$ 18,2 bilhões aos cofres públicos e pagou R$ 27 bilhões aos trabalhadores em indenizações. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que as ações trabalhistas atravancam o Judiciário. #éFake. Elas representam 15% do total de processos ingressados no Judiciário, segundo relatório do Conselho Nacional de Justiça (2017). #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho não é acessível.#éFake. A Justiça do Trabalho tem 1,57 mil Varas do Trabalho em todo o país, com jurisdições locais e sedes distribuídas por 624 dos 5.570 municípios. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho só serve para o trabalhador processar o empregador. #éFake. Na verdade, a JT julga inúmeros tipos de conflito, tais como abusividade de greves, dispensas em massa e ações de dissídios coletivos. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho é usada como um “cabide” de empregos. #éFake. Na verdade, em quase sua totalidade, magistrados e servidores ingressam via concurso público. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a rigidez da legislação trabalhista causa excesso de processos. #éFake. Quase metade das demandas na JT se dá pelo empregador não efetuar o pagamento de verbas na dispensa do trabalhador. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que um ambiente favorável à saúde do trabalhador não é importante. #éFake. Na verdade, segundo a CLT, é um direito do trabalhador, em condições insalubres, receber o pagamento do adicional de insalubridade. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que eu poderia chegar atrasado sem ter o salário descontado. #éFake. De acordo com a CLT, a tolerância diária ao atraso, para não descontar do banco de horas, é de apenas 10 minutos. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a proteção do Direito do Trabalho gera desemprego. #éFake. Não há comprovação de que a flexibilização da legislação aumentaria o número de postos de trabalho. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho é cara para os cofres públicos. #éFake. Em 2017, ela arrecadou R$ 3,6 bilhões a favor da União, entre valores referentes a custos processuais, previdência e imposto de renda. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho tem processos demais. #éFake. Na JT, a cada caso novo, 1,3 processo fica pendente. Na Justiça Estadual, o estoque equivale a 3,2 vezes a demanda e, na Federal, a 2,6 vezes. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que o excesso de súmulas e de leis trabalhistas traz insegurança jurídica. #éFake. Na verdade, esses dispositivos servem, justamente, para proporcionar maior segurança. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho é lenta. #éFake. A JT leva, em média, oito meses para sentenciar na fase de conhecimento e cinco para proferir acórdão. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho privilegia o empregado. #éFake. Ela busca garantir os direitos e deveres das partes envolvidas no contrato de trabalho, sem pender para nenhum dos lados. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho é uma jabuticaba, só existe no Brasil. #éFake. Na verdade, outros países também possuem tribunais especializados em trabalho, como Bélgica, Alemanha, Inglaterra, Austrália, entre outros. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a legislação trabalhista é antiga e ultrapassada. #éFake. As leis trabalhistas acompanham as transformações da sociedade. Como, por exemplo, a mudança dos processos físicos para eletrônicos.

#meDisseram que na Justiça do Trabalho o empregado sempre tem razão. #éFake! Na Bahia, de cada 100 ações, quase 30 terminam em acordo. Em outros 40, o trabalhador tem apenas partes dos seus pedidos atendidos. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho não dá lucro. #éFake! A Justiça do Trabalho não existe para dar lucro, mas para garantir direitos de patrões e empregados. Mesmo assim, ela foi responsável por injetar cerca de R$ 29 bilhões na economia em 2018. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que o Brasil possui mais processos trabalhistas que o resto do mundo. #éFake! Não há dados oficiais que permitam sequer fazer um ranking. Mas há países com números quase iguais aos nossos. Espanha: 7 ações/1.000 hab.; Brasil: 8 ações/1.000 hab. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

Links de apoio https://goo.gl/rnnqcV (sem dados no mundo), https://goo.gl/imn8Dn (Estatística Poder Judiciário da Espanha)

#meDisseram que a Justiça do Trabalho é lenta. #éFake! Na verdade, ela é uma das mais rápidas. O prazo médio para sair a 1ª decisão na JT é de apenas 8 meses. Em outros ramos da Justiça, esse tempo sobe para mais de 2 anos. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

Link de apoio https://goo.gl/vPhFnK

#meDisseram que a Justiça do Trabalho diminui empregos. #éFake! Na verdade, ela garante que todos os empregadores tenham que cumprir as mesmas regras, o que gera isonomia no mercado. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

#meDisseram que a Justiça do Trabalho só existe no Brasil. #éFake! Muitos outros países também têm. Em alguns, ela existe desde o século 19: França (1806), Alemanha (1890) e Nova Zelândia (1894). O modelo brasileiro só foi criado em 1941. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

Links de apoio https://goo.gl/vDNGbh(Alemanha), https://goo.gl/9pJE67 (Nova Zelândia), https://goo.gl/8D8nh4 (França)

#meDisseram que férias remuneradas só existem no Brasil. #éFake! A grande maioria dos países também tem. Vários, inclusive, com períodos maiores que o nosso, como Na França, Suécia e Dinamarca.#FakeNewsNão #AquitemJustiça

Link de apoio https://goo.gl/G2YZ2o

#meDisseram que a Justiça do Trabalho só existe no Brasil. #éFake! Muitos países desenvolvidos também têm. A Alemanha, inclusive, tem uma estrutura MUITO semelhante à nossa, com três graus de jurisdição. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

Estrutura Alemanha https://goo.gl/LXr1xr

#meDisseram que os países desenvolvidos não têm Justiça do Trabalho. #éFake! Na Inglaterra, há Justiça do Trabalho. Inclusive, em 2017, eles retiraram as custas processuais para ampliar o acesso do trabalhador. #FakeNewsNão #AquitemJustiça

Link de apoio https://goo.gl/PDe5TP

Setor de Imprensa, com informações do TRT5 (BA)

Facebooktwitter

Esta matéria tem cunho meramente informativo, sem caráter oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Comunicação Social
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região
comunicacao@trt18.jus.br

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.