TRT18 vai desenvolver projeto piloto, de âmbito nacional, para troca de informações com o MPT

Reunião na STI definiu os próximos passos para a implantação do projeto piloto

Reunião na STI definiu os próximos passos para a implantação do projeto piloto

A equipe da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do TRT18 foi escolhida pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) para desenvolver projeto piloto visando a implantação do Modelo Nacional de Interoperabilidade (MNI) entre o Processo Judicial Eletrônico da Justiça do Trabalho (PJe-JT) e o sistema de informação do Ministério Público do Trabalho.

Segundo explicou o diretor da STI, Humberto Ayres, a ideia é trocar informações e dados com o Ministério Público do Trabalho em âmbito nacional. “É fazer um sistema conversar com o outro, nos moldes do que já é feito hoje com os bancos e a receita federal”, informou o diretor.

De acordo com Humberto, essa mesma interoperabilidade, via PJe, já existe com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal para a realização de depósitos judiciais e emissão de alvarás eletrônicos.

Para dar início ao projeto, a STI vai se reunir nesta terça-feira, 6/5, a partir das 13 horas, com o servidor Marco Arenhart, da Divisão de Tecnologia da Informação da Procuradoria Regional do Trabalho da 12ª Região (PRT-SC), que será responsável pela coordenação do projeto.

Participam da reunião, além do diretor Humberto Ayres, o procurador do trabalho Luiz Fabiano, do MPT18, e os servidores Ângela Oliveira, Alexandre Pedrosa, Sávio Sampaio, Mateus Provensi e Fabiano Oliveira.

Durante a reunião, será discutida a viabilidade do projeto Conjunto MPT/TRT18 para evolução da Interoperabilidade, por meio de testes e melhorias nos serviços, serão definidos o escopo do trabalho, a responsabilidade da equipe e o plano de gerenciamento do projeto, além da alocação de infraestrutura necessária para a realização do trabalho.

 

Esta entrada foi publicada em Notícias, Tecnologia e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.