iGovTI

“A governança de TI passou a ser foco específico do TCU em 2007, com a realização do primeiro levantamento com o objetivo de avaliar a situação de governança de TI na Administração Pública Federal. Diante do cenário preocupante identificado na oportunidade, este Tribunal determinou a realização de novos levantamentos com esta finalidade. Atendendo ao Acórdão 2.308/2010-TCU Plenário, que apreciou o segundo levantamento, realizado em 2010, a Sefti estabeleceu processo de trabalho para avaliar a governança de TI em ciclos de dois anos. (…) O índice de governança de TI (iGovTI), criado no âmbito do levantamento de 2010, busca refletir a situação geral de cada organização avaliada e, desse modo, incentivar o estabelecimento e o aprimoramento da governança de TI na APF.” (Informe Levantamento de governança de TI 2014 – TCU)

A partir do ciclo de 2017, o TCU consolidou os quatro levantamentos temáticos de governança que vinha realizando (Pública, TI, Pessoas e Contratações) em um levantamento integrado, e alterou a sua periodicidade de bianual para anual.

O questionário foi dividido nos seguintes temas:

    1. Governança:
      • Liderança
      • Estratégia
      • Accountability
    2. Operações:
      • Gestão de Pessoas
      • Gestão de Tecnologia da Informação
      • Gestão de Aquisições
    3. Resultados finalísticos

Com a integração dos levantamentos, além dos índices de cada um dos quatro temas avaliados, foi criado um índice geral que agrega os demais quatro, denominado iGG (Índice Integrado de Governança e Gestão).

Especificamente quanto ao perfil de governança e gestão de TIC, o questionário sofreu alterações na quantidade de respostas válidas e na escala de pontuação das respostas, além da quantidade de questões e itens. Desse modo, conforme destacado no relatório do TCU, o iGovTI 2017 NÃO dá continuidade à série histórica do índice.

Resultados do TRT 18ª Região:

Estágio de Capacidade Faixas
Inexpressivo 0,00 <= índice < 0,15
Inicial 0,15 <= índice < 0,40
Intermediário 0,40<= índice < 0,70
Aprimorado 0,70 <= índice <= 1,00
  • Nota do iGovTI: 0,73 (Estágio de Capacidade Aprimorado)
  • Classificação no âmbito da Justiça do Trabalho: 7º (de 26)
  • Classificação no Segmento (JUD):  8º
  • Classificação Geral: 60º (de 498)
Estágio de Capacidade Faixas
Inexpressivo 0,00 <= índice < 0,15
Inicial 0,15 <= índice < 0,40
Intermediário 0,40<= índice < 0,70
Aprimorado 0,70 <= índice <= 1,00
  • Nota do iGovTI: 0,71 (Estágio de Capacidade Aprimorado)
  • Classificação no âmbito da Justiça do Trabalho: 8º (de 26)
  • Classificação no Segmento (JUD): 10º (de 90)
  • Classificação Geral: 43º (de 488)
Nível de Capacidade Faixas
Inicial 0,00 <= iGovTI < 0,30
Básico 0,30 <= iGovTI < 0,50
Intermediário 0,50 <= iGovTI < 0,70
Aprimorado 0,70 <= iGovTI <= 1,00
  • Nota: 0,64 (Nível de Capacidade Intermediário)
  • Classificação no Grupo (Tribunal): 17º (de 65)
  • Classificação no Segmento (JUD): 16º (de 64)
  • Classificação Geral: 82º (de 368)
Nível de Capacidade Faixas
Inicial 0,00 <= iGovTI < 0,30
Básico 0,30 <= iGovTI < 0,50
Intermediário 0,50 <= iGovTI < 0,70
Aprimorado 0,70 <= iGovTI <= 1,00
  • Nota: 0,45 (Nível de Capacidade Básico)
  • Classificação no Grupo (Tribunal): 33º (de 66)
  • Classificação no Segmento (JUD): 32º (de 65)
  • Classificação Geral: 182º (de 372)

Clique aqui para acessar os resultados gerais do Levantamento Integrado de Governança Organizacional Pública – ciclo 2017

Clique aqui para acessar os relatórios gerais do iGovTI (até 2016)

Os comentários estão encerrados.