Coordenador do PJe/JT se reúne com advogados de Goiás para discutir o programa

O juiz auxiliar da presidência do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e coordenador do PJe-JT, José Hortêncio Ribeiro Júnior, se reuniu com os presidentes da OAB-GO, Henrique Tibúrcio, e da Associação dos Magistrados Trabalhistas de Goiás (Amatra), Cleber Sales, e advogados trabalhistas para discutir a implantação do PJe e as dificuldades que os advogados goianos têm encontrado ao utilizar o sistema. A reunião aconteceu na tarde de quinta-feira, 4/7, na seccional da OAB em Goiânia.

O presidente da Comissão de Direito do Trabalho da OAB-GO, Jorge Jungmann Neto, e o presidente da Associação Goiana dos Advogados Trabalhistas (Agatra), Rafael Cortez, também participaram da reunião. Os advogados apresentaram diversas reclamações sobre o funcionamento do PJe, como a perda de prazos processuais e a inoperância do sistema, com consequente demora no julgamento dos processos. Rafael Cortez disse que os advogados não são contra o PJe. “O requerimento da Agatra não é contra o sistema, ele é nosso ideal. Mas enquanto não chegue no ideal, que possamos usar o sistema que usávamos antes”, defendeu. Outros advogados também apresentaram sugestões para o funcionamento do sistema na 18ª Região.

José Hortêncio disse que o TST vai levantar o que há de melhor no TRT de Goiás e incorporar suas funcionalidades ao PJe. “Eu vejo a participação de Goiás extremamente importante neste projeto”, disse citando que há dois servidores do TRT da 18ª Região trabalhando diretamente com o sistema. Ele também informou que, ainda no mês de julho, vai ser implantada uma nova versão do PJe, com menos problemas que a anterior, e pediu para que os advogados tenham compreensão porque esses problemas estão próximos de ser resolvidos.

Sobre a suspensão do PJe, ele disse que a competência para isso é do Conselho Superior da Justiça do Trabalho. Por último, ficou decidido na reunião que o presidente da Comissão de Direito do Trabalho da OAB-GO vai consolidar todas as questões levantadas pelos advogados e enviar ao conselho Federal da OAB e ao Tribunal Superior do Trabalho. O coordenador do PJe, José Hortêncio, também conversou com os magistrados e servidores do Tribunal para apresentar a situação atual e as perspectivas e novas funcionalidades do PJe-JT.

Lídia Cunha
Núcleo de Comunicação Social
Esta entrada foi publicada em Notícias, Tecnologia e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.