Programa ‘Café Seguro’ vai até fábrica da São Salvador Alimentos em Itaberaí

Facebooktwitteryoutubeinstagram

Comitiva do TRT-18 conheceu o sistema de produção e serviço de segurança do trabalho da indústria na sétima edição do programa ‘Café Seguro’

O Programa Trabalho Seguro do TRT de Goiás tem promovido visitas a empresas com o intuito de levar palestras sobre prevenção a acidentes e doenças ocupacionais. Na edição realizada na última quarta-feira, 23/10, gestores do Tribunal estiveram, a convite, nas instalações da fábrica da São Salvador Alimentos (Super Frango e Boua) em Itaberaí-GO para conhecer a linha de produção e o serviço de segurança do trabalho desenvolvido pela empresa.

A equipe do Tribunal foi recebida pelo CEO da empresa, José Carlos Garrote, acompanhado de alguns de seus diretores. Garrote explicou que a indústria realiza o abate diário de 360 mil aves, emprega cerca de 4.800 funcionários diretos, 2 mil funcionários terceirizados e exporta alimentos para 65 países. O empresário mostrou as estações de tratamento de água, esgoto e de resíduos da empresa. “Tudo é reaproveitado, seja para produção de ração, seja para adubo nas lavouras”, ressaltou o CEO, explicando que o adubo utilizado nas lavouras é quase todo orgânico, sendo que a meta é atingir os 100%.

O engenheiro da empresa Lucas Carvalho conduziu a equipe do Tribunal até a Casa de Máquinas, geradora de resfriamento para as câmaras de congelamento. Após, a comitiva seguiu até a sala de geradores, passou pelas salas de observação de desossa de aves e, por fim, visitou o SESMT, Serviço Especializado em Engenharia e em Medicina do Trabalho da indústria.

O Serviço, conforme informou o gerente da unidade, Alexandre Vieira, é integrado por 25 profissionais, entre engenheiro, ergonomista, enfermeiro, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, médico do trabalho, entre outros. Vieira explicou que a unidade é responsável pelas análises ergonômicas das estações de trabalho e que o resultado desses estudos orienta mudanças pela melhor ergonomia no trabalho, “como a redução da altura da mesa de trabalho”, exemplificou. Além disso, o Serviço também realiza constantes e periódicos treinamentos para uso de equipamentos de proteção individual. “A cada três meses, pelo menos, realizamos esses treinamentos. É importante o tempo todo repetir as instruções de segurança no trabalho”, disse o gerente.

Para o presidente do TRT-18, desembargador Paulo Pimenta, a aproximação do Judiciário com as empresas mostra que a Justiça do Trabalho não é inimiga do crescimento, mas sim uma parceira do desenvolvimento sustentável, que se faz não somente com capital financeiro, mas também humano. “Com a ausência de uma estrutura judicial especializada, conhecedora da realidade, apta a trazer a pacificação entre capital e trabalho, não tenho dúvida nenhuma, perdem não só os trabalhadores, mas também, e muito, o setor industrial e a atividade econômica como um todo”, ressaltou o desembargador, conclamando todos os presentes à defesa institucional da Justiça do Trabalho.

O juiz do trabalho César Silveira, titular da Vara do Trabalho de Goiás, aproveitou a visita para reconhecer a condução responsável da empresa nos processos judiciais em que é parte e a disposição em conciliar. A conciliação é constantemente ressaltada pelo juiz como a melhor forma de solução de um processo, pois é construída pelas próprias partes e pacifica o conflito. Letícia de Carvalho, uma das advogadas da empresa, informou que 97% dos processos trabalhistas em que a empresa é parte na Justiça do Trabalho é solucionada por meio de acordo.

O desembargador Welington Peixoto, gestor do programa Trabalho Seguro do TRT-18, ressaltou que visitas como essa são uma oportunidade para empresários mostrarem como desenvolvem seu trabalho, compartilharem a gestão de recursos humanos e iniciativas socioambientais e de promoção do trabalho seguro. “Muitas vezes uma empresa tem uma forma de trabalho diferenciada que pode servir de espelho e exemplo para outras”, explicou o desembargador.

O juiz do trabalho Alexandre Piovesan agradeceu o convite e o apoio da empresa São Salvador Alimentos ao concurso de redação que está sendo realizado pela Associação de Magistrados Trabalhistas, a Amatra-18, entre alunos da rede pública de ensino da cidade de Goiás. Também estiveram presentes o procurador do trabalho Leomar Daromcho, os desembargadores Elvecio Moura e Eugênio Cesário Rosa, bem como a juíza auxiliar da Vara do Trabalho de Goiás, Andressa Kalliny Carvalho.

Lídia Barros
Setor de Imprensa/TRT-18
Publicado em 28/10/2019

Facebooktwitter

Esta matéria tem cunho meramente informativo, sem caráter oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Comunicação Social
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região
comunicacao@trt18.jus.br

Esta entrada foi publicada em Notícias, TRT18 e marcada com a tag . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.