Presidente do TST, ministro Brito Pereira, visita obras do Complexo Trabalhista de Goiânia

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro João Batista Brito Pereira, visitou as obras do Complexo Trabalhista de Goiânia na manhã desta sexta-feira (3/8), acompanhado pela secretária-geral da presidência do TST, Coelis Maria Martins. Durante a visita, o presidente do TRT18, desembargador Platon Teixeira Filho, apresentou ao ministro o andamento das instalações dos dois edifícios interligados, que vão abrigar as unidades do Segundo Grau, além do auditório e da praça anexa.

O ministro Brito Pereira elogiou a evolução da obra e disse estar muito orgulhoso de a Justiça do Trabalho ter condições de construir edifícios dessa qualidade. “Estou muito contente e orgulhoso de visitar essa obra agora que a infraestrutura já foi concluída. A obra sofreu um revés, mas o Tribunal é muito organizado e operoso e vejo uma construção a pleno vapor com mais de 200 operários trabalhando”. Ele disse ter esperança de que as obras estejam concluídas até o fim de 2019 e já garantiu que vai estar presente na inauguração. “Apoio não faltará para o TRT concluir a obra”, concluiu.

Da esquerda para a direita: desembargadores Platon Filho e Elvecio Moura e o presidente do TST, ministro Brito Pereira

Segundo o presidente do Tribunal, desembargador Platon Teixeira Filho, a expectativa é de concluir a obra no fim do ano de 2019. “Eu vejo uma evolução impressionante da obra. A nossa estrutura já está 100% construída e, se tudo der certo, vamos inaugurar no tempo previsto”, afirmou. O desembargador Platon Filho também ressaltou que o Tribunal é grato ao CSJT, presidido pelo ministro Brito Pereira, por haver autorizado a ampliação do limite de pagamento das despesas primárias com a utilização dos valores inscritos em restos a pagar, no importe de R$ 54 milhões, para a execução do projeto de construção do Complexo Trabalhista de Goiânia.

A limitação das despesas primárias, instituída pela Emenda Constitucional nº 95/2016, havia afetado seriamente o cronograma de execução da obra, pois devido ao incêndio ocorrido em outubro de 2015, não houve execução orçamentária do empreendimento nos anos de 2016 e 2017. Com a ampliação do limite de pagamento das despesas primárias, com a utilização dos valores inscritos em restos a pagar, foi possível dar continuidade à construção da última etapa do Complexo Trabalhista de Goiânia.

Complexo Trabalhista

Um dos novos blocos já recebeu peles de vidro cinza

Segundo informou o engenheiro do Tribunal, Paulo Sérgio de Castro, já está concluída toda a parte de fundação e estruturas elétrica e hidráulica dos edifícios e a fase atual é de fechamento externo dos prédios, que tem previsão de finalização para maio de 2019. A última fase, que será a de acabamento, já foi licitada para os blocos 3 e 4 e inicia no mês de setembro. Já o acabamento dos blocos 1 e 2 ainda será licitado.

Quando terminarem as obras do Complexo Trabalhista de Goiânia, haverá um total de quatro prédios, sendo um destinado às unidades administrativas (Edifício Ialba-Luza), o segundo para as 18 Varas do Trabalho de Goiânia (Fórum Trabalhista) e o terceiro e quarto prédios, que estão sendo finalizados, abrigarão os Gabinetes de Desembargadores, Plenário, quatro salas de sessões das Turmas, além das unidades judiciárias de 2º Grau.

Também acompanharam a visita o desembargador Elvecio Moura, o diretor-geral Ricardo Lucena, além de servidores da Administração e da Divisão de Engenharia.

Entrevista

Após a visita às obras do Complexo Trabalhista, o presidente do TST concedeu entrevista ao programa Hora Extra, produzido pela Coordenadoria de Comunicação Social do TRT18. 

Lídia Neves
Setor de Imprensa-CCS

Esta entrada foi publicada em Notícias, TRT18 e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.