Presidente designa comissão de sindicância para apurar incêndio no TRT

O desembargador Aldon Taglialegna, presidente do TRT de Goiás, assinou portaria instituindo comissão de sindicância para apurar, no âmbito interno, responsabilidades das causas do incêndio ocorrido no dia 3 de outubro, nas obras de construção do Complexo Trabalhista de Goiânia.

Fazem parte da comissão o juiz Renato Hiendlmayer, que presidirá os trabalhos; o chefe do Núcleo de Segurança do Tribunal, coronel Sardinha Bites, e o servidor Alcione Novais. O servidor Absayr Gonçalves irá atuar como secretário da comissão, que irá se reunir às 14 horas desta sexta-feira (8/10).

editada

Da esq. para dir.: juiz auxiliar da Presidência, Renato Hiendlmayer; desembargadora Kathia Albuquerque; presidente do TRT, desembargador Aldon Taglialegna; e delegado da PF Umberto Rodrigues

Visita à Polícia Federal
O presidente do Tribunal, acompanhado da desembargadora Kathia Albuquerque e do juiz Renato Hiendlmayer, foi à sede da Polícia Federal para verificar o andamento das investigações. Na ocasião ele entregou ofício solicitando que a PF designe especialistas em incêndio e produção de provas para investigar as causas que deram início ao fogo. De acordo com o superintende regional da Polícia Federal em Goiás, delegado Umberto Rodrigues, a PF não dispõe deste tipo de especialista no Estado, mas informou que irá solicitar colaboração das outras superintendências para designar os especialistas necessários à apuração dos fatos que provocaram o sinistro.

O desembargador Aldon solicitou também que o Tribunal seja informado sobre o desenrolar das investigações, sobre a tramitação e conclusão do inquérito policial, especialmente acerca de informações relevantes ao encaminhamento das ações administrativas sob responsabilidade do TRT.

Seção de Imprensa/DCSC

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.