Palestra sobre Coleta Seletiva e Reciclagem dá início à 2ª Semana Socioambiental do TRT

Facebooktwitteryoutubeinstagram

IMG_3170Na manhã da última terça-feira, 16, teve início a 2ª Semana Socioambiental, aberta oficialmente pela diretora da Secretaria de Gestão de Pessoas, Ana Beatriz Braga, no auditório do Fórum Trabalhista de Goiânia.

IMG_3219Dando as boas-vindas ao público, a chefe do Setor de Responsabilidade Socioambiental, Lara Barros, destacou a importância dos pequenos gestos na economia de recursos e redução do consumo e do lixo. Fez, ainda, uma síntese dos avanços alcançados nos últimos seis meses no TRT de Goiás após a implementação das campanhas de redução do uso de copo descartável e do consumo consciente do café: os copos descartáveis atingiram uma redução de 30% e o desperdício de café foi reduzido em 15%. Essas e outras ações fazem parte do Plano de Logística Sustentável (PLS), previsto em decreto federal.

A instalação de coletores de pilhas e baterias no Fórum de Goiânia e em Varas do Trabalho do interior foi outra medida implementada pelo PLS. Segundo a servidora Lara, a presença dos coletores de pilhas e baterias nas Varas do interior têm a dupla função de realizar a coleta desse material perigoso e, ainda, despertar o interesse na preservação do meio ambiente.

“O homem pensa que tem o planeta ao seu serviço. As forças da natureza definem o tempo que ficaremos aqui. A natureza nos concedeu poder, mas temos que ter responsabilidade para usá-lo”. Foi a fala da da professora Rosângela Veiga durante palestra no TRT de Goiás.

“O homem pensa que tem o planeta ao seu serviço. As forças da natureza definem o tempo que ficaremos aqui. A natureza nos concedeu poder, mas temos que ter responsabilidade para usá-lo”, diz Rosângela Veiga durante palestra no TRT de Goiás

Em seguida, a professora do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia, Rosângela Mendanha da Veiga, mestra em Desenvolvimento e Planejamento Territorial pela PUC Goiás, tomou a palavra para apresentar ao público um panorama geral da problemática do gerenciamento do lixo.

Segundo a palestrante, “o lixo é um problema de difícil solução”. Rosângela Veiga alertou que os lixões e aterros sanitários não estão em áreas isoladas, fora das cidades, mas dentro delas. Mostrou as atuais tecnologias existentes para gerenciar o lixo, ressaltando, porém, que nenhuma dessas tecnologias é simples nem capaz de dar uma solução completa ao problema. “São tecnologias com alto custo de instalação e manutenção”, como é o caso da incineração, que  apresenta ainda outras desvantagens e limitações.

Desse modo, na linha de prioridade do gerenciamento de resíduos sólidos, estão justamente a não geração e a redução do lixo, além da reutilização e reciclagem, conforme gráfico abaixo. A ideia inserida nesta ordem de prioridade é que, sendo difícil gerenciar o lixo, deve-se fazer o possível para não gerá-lo ou, ao menos, reduzi-lo.

esquema

IMG_3156Reciclar ou reutilizar?

Durante a palestra, a professora explicou que reutilizar significa usar novamente o material que iria ser descartado, dando a ele outra finalidade (como, por exemplo, utilizar o verso de um papel impresso ou confeccionar peças com retalhos, além de produzir artesanatos feitos de materiais recicláveis).

Ao falar da etapa de reciclagem, a palestrante destacou que o grande segredo é a segregação na fonte geradora, ou seja, separar o que pode ser reciclado do lixo orgânico. “Caso os resíduos sejam misturados, ocorre contaminação e inviabiliza-se a reciclagem”, enfatizou.

A palestrante finalizou alertando que as áreas de depósito de lixo estão se esgotando e que temos que mudar nosso comportamento, pois nenhuma técnica inovadora será capaz de resolver o problema se não houver mudança de comportamento da população. E agradeceu o espaço e interesse do Tribunal e do público pelo importante tema da responsabilidade socioambiental.

Participaram da palestra servidores inscritos, público externo e os terceirizados responsáveis pela limpeza, copeiragem e conservação dos prédios da capital. Foram, ainda, distribuídas mudas de ipês e de hortaliças, numa parceria com a AMMA, Agência Municipal do Meio Ambiente.

Núcleo de Comunicação Social

Facebooktwitter

Esta matéria tem cunho meramente informativo, sem caráter oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Comunicação Social
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região
comunicacao@trt18.jus.br

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.