Novos magistrados conhecem o cotidiano dos trabalhadores da Friboi

Os magistrados conheceram todo o processamento de produtos bovinos, desde o abate à expedição.

Os novos magistrados do TRT Goiás visitaram, na tarde desta quarta-feira, 14/7, o frigorífico João Batista Sobrinho (JBS), localizado na região Norte de Goiânia, mais conhecido por Friboi, que é uma das marcas comercializadas pela empresa. A visita, que tem o objetivo de inserir o juiz na realidade cotidiana do trabalhador, faz parte da programação do módulo regional de formação inicial de magistrados.

Os magistrados conheceram todo o processamento de produtos bovinos, desde o abate do animal até o corte, desossa, embalagem e expedição. O novo juiz Lucas Carvalho, que vai atuar na Vara do Trabalho de São Luís de Montes Belos, acredita que essa é uma experiência muito válida, pois para ele é uma oportunidade de conhecer na prática aquilo que eles vão julgar quando estiverem atuando como juízes do trabalho.

Juiz Luciano Crispim, coordenador pedagógico da Escola Judicial

Para o coordenador pedagógico da Escola Judicial, juiz Luciano Crispim, a experiência no frigorífico vai ser muito útil no momento da instrução processual. “Na hora de inquirir as testemunhas e as partes, eles vão ter uma visão muito melhor, porque estão conhecendo na prática toda a linha de produção do frigorífico”, explicou.

No final da visita, o advogado da empresa, Alexandre Perlato, responsável pelo jurídico trabalhista da JBS, ainda falou com os magistrados sobre a aplicação da nova norma regulamentadora nº 36 na empresa quanto às pausas térmicas e ergonômicas, a jornada de trabalho e outras questões relacionadas à medicina e segurança do trabalho. Ele também informou que os advogados da empresa vão participar da Semana Nacional de Execução no TRT-Goiás, que começa no próximo dia 26 de agosto, para atuarem na conciliação em processos trabalhistas da JBS.

Curral do frigorífico. Diariamente são abatidos 1.160 bois.

A JBS é a maior companhia de exportação de proteína animal do mundo. Ela atua na área de alimentos, couros, produtos para higiene e limpeza, colágeno, latas e biodiesel. No estado de Goiás, a empresa ainda tem unidades de abate em Anápolis, Senador Canedo e Mozarlândia. A unidade de Goiânia, que emprega 803 trabalhadores, realiza 1.160 abates por dia.

 
Lídia Cunha
Núcleo de Comunicação Social
 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.