Vara do Trabalho de Goiatuba conta com sede própria ampla e bem localizada

Fachada da sede própria da VT de Goiatuba

O descerramento da placa de inauguração com a participação do presidente do TRT, desembargador Platon Filho, do vice-presidente, desembargador Paulo Pimenta, do prefeito José Alves Vitor e da titular da VT, juíza Narayana Teixeira Hannas

Situada na região nobre da cidade, em frente ao lago dos Buritis, a sede própria da Vara do Trabalho de Goiatuba foi inaugurada na quinta-feira, 11/5, pelos presidente e vice-presidente do TRT 18, respectivamente, desembargadores Platon Texeira Filho e Paulo Pimenta,  em solenidade que contou com  a presença de diversas autoridades locais. A VT de Goiatuba é uma das últimas unidades a serem instaladas em sede própria.

O edifício inaugurado conta com 849 metros de área construída em terreno de 2.510 metros doado pela prefeitura. Os recursos da construção, no valor de R$ 1,5 milhão, foram repassados pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), que tem recomendado aos tribunais trabalhistas a realização de investimentos visando dotação das unidades de sede própria no intuito de reduzir as despesas de custeio referentes a aluguel.

Inauguração

Juíza Narayana Hannas, titular da VT de Goiatuba

A juíza titular Narayana Hannas aproveitou o momento para agradecer às pessoas que estiveram envolvidas com o projeto de construção e com a própria história da vara do trabalho. “Quero agradecer à equipe, aos diretores do Tribunal, ao desembargador Platon e a todos os presidentes que o antecederam pelo esforço para que, apesar dos obstáculos, a VT de Goiatuba passasse a contar com sede própria. Estou muito emocionada pois o anseio de atender bem advogados e partes hoje se torna uma realidade”, afirmou.

Presidente da Amatra 18, Cleber Sales

O presidente da Amatra 18, juiz Cleber Sales, ressaltou que a nova sede, assim como as vestes talares, é um importante símbolo para o Judiciário, mas destacou que nenhum símbolo se sustenta sem as pessoas que atuam na instituição. “A sociedade pode ter certeza de que, para além desse prédio absolutamente merecido, há aqui pessoas dispostas a prestar justiça a quem quer que dela necessite”, destacou.

Prefeito de Goiatuba, José Alves

A participação do município para que a Justiça do Trabalho fosse instalada e, posteriormente, passasse a ter sede própria em Goiatuba foi destacada pelo prefeito José Alves Vitor. “A conquista de hoje vai fazer com que Goiatuba tenha mais representatividade na região Sul de nosso Estado”, declarou.

Presidente do TRT 18, desembargador Platon Teixeira

O presidente do TRT18 encerrou a solenidade registrando os agradecimentos do Tribunal pelo apoio da prefeitura à Justiça do Trabalho e evidenciou a importância de se acreditar nos sonhos e de perseverar por um país melhor. Ao final, recitou parte da letra de um samba enredo da escola de samba Beija-Flor: “Monstro é aquele que não sabe amar”, que revela a ânsia por um Brasil em que todos sejam respeitados.

Sedes próprias e adequadas

Ricardo Lucena, diretor-geral do TRT 18

Desde de 2013, o Tribunal iniciou projeto de dotar todas as varas do trabalho de sedes próprias e em edifícios apropriados ao funcionamento da justiça, é o que explica o diretor-geral do TRT18, Ricardo Lucena. Ele lembra que à época das instalações das varas geralmente não havia disponibilidade de imóveis e, inicialmente, as unidades judiciárias foram instaladas em casas adaptadas, sem atender aos critérios  de acessibilidade e demais exigências necessárias ao funcionamento de um prédio público. É o caso da VT de Goiatuba que, desde a instalação, ocorrida em 20 de março de 2012, estava abrigada em imóvel cedido pela prefeitura, onde funcionava uma escola pública.

Ricardo Lucena conta que, ao longo tempo, a Administração procurou oferecer melhores acomodações por meio da construção de sedes próprias, buscando a parceria das prefeituras locais. “Com a inauguração de Goiatuba hoje, ficaremos devendo apenas a sede do Posto Avançado de Pires do Rio, que se encontra em construção e tem previsão de inauguração para outubro deste ano, lembrando que o Tribunal trata os postos avançados como se fossem uma vara normal, como dispõe a Resolução 187 do CNJ”, afirmou.

Márcia Bueno
Setor de Imprensa – CCS

 

 

 

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.