Setor de Atermação faz atendimento em libras

“Foi o melhor lugar em que fomos atendidos”, essa foi a afirmação de Carlos Henrique de Sousa França e Celso Manteiro Neves, deficientes auditivos, que buscaram o atendimento do Setor de Atermação Verbal do TRT, segunda-feira, 9/10, para obter maiores informações sobre seus direitos trabalhistas. Os dois são empregados de uma rede de lojas especializadas em venda de materiais eletrônicos e fotográficos e, de acordo com o relato, estão passando por situação de discriminação e assédio moral pelos colegas de trabalho por serem surdos.

Antes de virem à Justiça do Trabalho, eles passara m pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, mas não conseguiram efetuar o atendimento porque a SRTE não dispunha de intérprete. O primeiro contato com o TRT foi na tarde de sexta-feira passada, 5/10, o que coincidiu com o curso avançado de libras que estava sendo ministrado no mesmo horário. Imediatamente, o chefe do Núcleo de Atendimento ao Cidadão, Mário Alfredo, solicitou aos alunos e à professora Rúbia para auxiliar no atendimento e vivenciar uma situação real usando a linguagem de libras.

Com a certeza de que conseguiriam estabelecer uma comunicação e se fazer entendidos, Carlos e Celso retornaram segunda-feira para obter mais informações quando foram atendidos pela servidora e aluna do curso Andréa Emídio dos Santos. Ao serem indagados sobre a expectativa deles em relação à Justiça do Trabalho, Celso respondeu que era a certeza de que viriam atrás da informação e conseguiriam se comunicar, de serem compreendidos.

Em razão da complexidade e urgência do caso, a Atermação, com o auxílio da servidora Andréa, encaminhou os reclamantes para atendimento com a advogada Danielle Rezende, que se prontificou a atendê-los imediatamente. Danielle é uma das advogadas voluntárias cadastradas no Tribunal, que presta assistência gratuita ao jurisdicionado. A intenção dos reclamantes é protocolar um pedido de rescisão indireta do contrato de trabalho.

Andréa Emídio disse que os servidores do curso de libras vão acompanhar o caso e ajudar no que possível. O segundo módulo do curso, iniciado no dia 3 de agosto, visa à formação dos primeiros tradutores/interpretes de libras, conforme dispõe a resolução nº 64/2010, do CSJT. O curso é ministrado todas as sextas-feiras, das 14 às 18 horas, e encerra-se em dezembro desse ano.

Márcia Bueno
Núcleo de Comunicação Social
comunicacao@trt18.jus.br
(62) 3901-3390

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.