Correição: VT de Goiatuba registrou queda de 55% do número de ações no primeiro ano da reforma trabalhista

A correição ordinária realizada pela Secretaria de Corregedoria Regional revelou que a Vara do Trabalho de Goiatuba foi a unidade do TRT de Goiás que registrou a maior queda no número de novas ações trabalhistas. No último exercício (2018), a VT recebeu 879 novas ações, 54,9% a menos que no ano anterior (2017), em que a unidade recebeu 1947 processos trabalhistas. Para o corregedor regional do TRT18, desembargador Daniel Viana Júnior, para este ano a VT de Goiatuba sinaliza nova tendência de queda nesses números.

Por outro lado, o corregedor destacou a alta produtividade da unidade em nível nacional. Conforme o Índice Nacional de Gestão do Desempenho da Justiça do Trabalho (IGEST), a Vara do Trabalho de Goiatuba ficou em 24º lugar entre as 378 Varas do Trabalho existentes no País dentro da mesma movimentação processual. O IGEST é uma ferramenta que apresenta um referencial numérico que sintetiza indicadores de acervo, celeridade, produtividade e taxa de congestionamento em relação à força de trabalho. A VT de Goiatuba registrou os índices de produtividade de 113% em 2017 e 121% em 2018, o que fez reduzir, consequentemente, o seu estoque de processos.

Prazos

Segundo os dados estatísticos extraídos do Sistema Integrado de Gerenciamento da Corregedoria Regional, o prazo médio do ajuizamento até a solução do processo com a prolação da sentença, no rito sumaríssimo foi de 75,9 dias em 2017, tendo sofrido ligeiro acréscimo em 2018, chegando a 76,07 dias. Já no rito ordinário, o prazo médio subiu consideravelmente de 107,4 dias em 2017 para 156,7 dias em 2018.

O desembargador-corregedor ressaltou que os prazos médios estão dentro da meta fixada pela Corregedoria Regional, de 90 e 180 dias, respectivamente, e incentivou as magistradas da unidade, juízas Maria Aparecida Bariani (titular) e Taís Priscilla Souza (auxiliar) a manterem os prazos médios da entrega da prestação jurisdicional em patamares inferiores à meta estipulada. O desembargador ainda reconheceu que a unidade observa fielmente a ordem cronológica dos processos ajuizados.

Por fim, o corregedor destacou que a unidade conseguiu cumprir seis das sete metas do CNJ para 2018, tendo agradecido as magistradas e a equipe da VT pela valiosa contribuição dada no desempenho do Tribunal em relação às metas nacionais fixadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para a Justiça do Trabalho. Daniel Viana ainda reconheceu o bom desempenho da unidade na última pesquisa de satisfação promovida pelo Tribunal, tendo obtido ótimas avaliações nos quesitos “cordialidade no atendimento”, “clareza e precisão das informações prestadas pelos servidores”, “rapidez e facilidade de acesso às informações” e “atuação dos magistrados”.

Para saber mais, leia aqui a íntegra da Ata de Correição da VT de Goiatuba.

Lídia Neves – Setor de Imprensa

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.