Correição destaca aumento da produtividade na 6ª Vara do Trabalho da capital

Desembargador Paulo Pimenta com o juiz Israel Adourian

Desembargador Paulo Pimenta, o diretor da Secretaria de Corregedoria Regional, Marcelo Marques, o diretor da VT, Alessandro Carneiro e demais servidores da unidade

A 6ª Vara do Trabalho de Goiânia alcançou produtividade de 99% no ano de 2016, um incremento de 6 pontos percentuais na comparação com o resultado aferido pela Corregedoria Regional do TRT-GO naquela unidade judiciária no ano de 2015. Ao encerrar a correição realizada na Vara, o corregedor do Tribunal, desembargador Paulo Pimenta, disse que o bom desempenho da 6ª VT “evidencia o comprometimento e a operosidade dos magistrados Israel Adourian, titular, e Eduardo Tadeu Thon, auxiliar. Ele ressaltou que o trabalho desenvolvido pela VT tem sido bem feito e rápido e pediu à equipe para continuar se empenhando.

Ele ainda parabenizou os juízes e servidores pelo resultado alcançado em cinco das seis metas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) no ano passado. A correição também destacou o desempenho da unidade quanto ao tempo médio de duração do processo que em 2016 ficou em 121,89 dias, abaixo da média geral do Tribunal de 153 dias, o que demonstra a viabilidade do cumprimento da meta específica para 2017 de redução em 2% do tempo médio de duração do processo em relação ao ano anterior.

Ao fim da correição, o juiz Israel Adourian disse que ficou feliz em ouvir o reconhecimento do Tribunal quanto ao desempenho da 6ª VT. “É um incentivo para continuar nos dedicando e chegar a um patamar que o povo brasileiro mereça: a entrega rápida da prestação jurisdicional”, concluiu.

Metas do CNJ
A 6ª Vara do Trabalho foi elogiada pelos resultados parciais obtidos no cumprimento das metas 1 (julgar 90% dos processos de conhecimento distribuídos no ano corrente), com índice de 101,21%, 2 (julgar processos mais antigos – distribuídos até o fim de 2015 no primeiro grau), com percentual de 98,39%, 6 (priorizar o julgamento das ações coletivas), índice de 102,04%, e 7 (priorizar o julgamento dos processos dos maiores litigantes), cujo resultado foi de 130,67%.

Em relação à Meta 3 (aumentar os casos solucionados por conciliação), a 6ª Vara atingiu o percentual de 53,55% até o mês de abril, acima da média aferida no Foro Trabalhista de Goiânia (46,11%) em 2016. Já quanto aos processos na fase de execução (objeto da Meta 5), a unidade obteve resultado parcial de 68,99%, cujo cumprimento em 2017 foi considerado viável pelo corregedor.

Seção de Imprensa-CCS

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.