Correição apura aumento significativo na produtividade da VT de Ceres

Desembargador-corregedor Paulo Pimenta e o diretor da Secretaria da Corregedoria Regional Marcelo Marques com a equipe da VT de Ceres

A Vara do Trabalho de Ceres aumentou significativamente sua produtividade em 2016 e 2017, alcançando, respectivamente, os índices de 126% e 130%. Os resultados estão muito acima do índice de 55% aferido em 2015. O desempenho da unidade foi destacado pelo desembargador-corregedor do TRT18, Paulo Pimenta, em correição realizada naquela unidade judiciária no mês passado. Ele ainda destacou a significativa redução dos prazos médios de duração dos processos naquele juízo em relação ao exercício anterior, inclusive para patamares inferiores a 90 e 180 dias, respectivamente, para os processos que tramitam nos ritos sumaríssimo e ordinário.

Desembargador Paulo Pimenta com a juíza Maria das Graças

O bom desempenho da Vara foi motivo de elogios feitos à juíza titular Maria das Graças Gonçalves Oliveira e aos servidores da secretaria da VT de Ceres. A Vara também conseguiu cumprir, até o mês de agosto deste ano, três das seis Metas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aplicáveis àquela unidade judiciária.

A VT de Ceres obteve índice de 144,12 % na Meta 1, que é julgar 90% da quantidade de processos de conhecimento distribuídos no ano corrente. Isso significa que a vara solucionou mais processos nos oito primeiros meses de 2017 (1.729) do que o total distribuído (1.333) no mesmo período.

Na Meta 2 (julgar processos mais antigos), a unidade alcançou 111,11% no cumprimento do que estabelece o CNJ. Quanto à Meta 7 (priorizar o julgamento dos processos dos maiores litigantes), a vara atingiu o índice de 274,40%, restando apenas 5 processos desse tipo pendentes de julgamento.

Redução drástica

Em 2016, o tempo médio de duração do processo no âmbito do 1º grau de jurisdição do Regional goiano foi aferido em 153 dias. Particularmente na Vara do Trabalho de Ceres, o prazo médio no mesmo período foi de 141,17 dias. Até agosto de 2017, esse prazo em Ceres estava em 89,14 dias, evidenciando uma drástica redução no tempo de duração do processo e garantindo o cumprimento da meta específica para o primeiro grau de jurisdição em 2017.

Quanto ao aumento dos casos solucionados por conciliação, a vara registrou o índice de 44,30% no cumprimento dessa meta, a de número 3, até agosto deste ano. Apesar de reconhecer o momento difícil da economia brasileira, Paulo Pimenta encareceu à juíza Maria das Graças Oliveira esforços para aumentar o desempenho da unidade em relação à conciliação. A VT precisa incrementar esse índice em 9,7% para cumprir a meta do CNJ até o fim do ano.

O corregedor do TRT18 ainda considerou viável o atendimento da Meta 5 (impulsionar processos à execução) até o fim do ano. Até agosto, o juízo de Ceres havia atingido 75,02% nessa meta.

Advogados

Desembargador Paulo Pimenta com o advogado Claudinei de Jesus Rocha

Durante os trabalhos correcionais, o desembargador-corregedor do TRT18 recebeu a visita do advogado Claudinei de Jesus Rocha, que elogiou a atuação da Vara do
Trabalho de Ceres, destacando a qualidade e celeridade das atividades desempenhadas pela magistrada titular e pelos servidores da Secretaria.

 

 

Seção de Imprensa-CCS

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.