Corregedor do TRT parabeniza 7ª VT da capital pelo alto índice de acordos obtido em 2016

Equipe da 7ª VT com o desembargador-corregedor, Paulo Pimenta, e o diretor da secretaria da Corregedoria, Marcelo Marques

A 7ª Vara do Trabalho de Goiânia obteve o segundo maior índice de conciliação entre as Varas da capital no ano de 2016. A unidade alcançou o percentual de 61,33% de acordos, ficando atrás apenas da 10ª VT, cujo índice foi de 63,09% no ano passado. O bom resultado foi aferido pelo corregedor e vice-presidente do TRT-GO, desembargador Paulo Pimenta, durante correição realizada na 7ª VT no último dia 4.

Em suas considerações finais, o corregedor parabenizou os juízes Wanda Lúcia Ramos (titular), Celismar Figueiredo (auxiliar) e Ceumara Soares (substituta), o diretor de secretaria Elêus de Lima e os servidores lotados na Vara pelo incremento da produtividade da unidade no ano de 2016. O índice foi de 90%, bem acima do aferido em 2015 (80%).

Desembargador-corregedor Paulo Pimenta em conversa com as juízas Wanda Lúcia e Ceumara Soares

Após conversar com as magistradas Wanda Lúcia e Ceumara Soares, Paulo Pimenta avaliou como promissoras as providências a serem adotadas pela Vara com o objetivo de alcançar a necessária redução dos prazos médios de duração dos processos naquele juízo, dentre elas o incremento do número de audiências realizadas semanalmente.

Metas do CNJ

Além do excelente desempenho no índice de acordos (objeto da Meta 3), a 7ª VT alcançou o percentual de 97,10% no cumprimento da Meta 1 do CNJ (julgar 90% da quantidade de processos de conhecimento distribuídos no ano corrente) nos dois primeiros meses deste ano.

Quanto às Metas 2 (julgar processos mais antigos) e 5 (impulsionar processos à execução), a Vara atingiu, respectivamente, os percentuais de 74,96% e 57,11%. O corregedor considerou viável o cumprimento dessas duas metas até o fim do ano, já que o período de apuração abrangeu apenas os meses de janeiro e fevereiro.

A ata correicional também registrou o bom desempenho da 7ª VT no cumprimento das Metas 6 (priorizar o julgamento das ações coletivas), cujo percentual foi de 100%, e 7 (priorizar o julgamento dos processos dos maiores litigantes), índice de 103,26%. A juíza Wanda Lúcia agradeceu os servidores e o diretor de secretaria pela lealdade, eficiência e compromisso deles no cumprimento de suas tarefas. “Mesmo afastada para exercer a função de coordenadora pedagógica da Escola Judicial, eu sempre pude contar com a dedicação de vocês”, afirmou.

Wendel Franco
Seção de Imprensa-CCS

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.