Médico perito de São Paulo abre o 3° Seminário Goiano sobre Trabalho Seguro com palestra sobre a concausa no acidente de trabalho

Facebooktwitteryoutubeinstagram

DSC_0077 (Copy)O médico perito de São Paulo, João Carlos Arruda, fez a palestra de abertura do 3º Seminário Goiano sobre Trabalho Seguro, promovido pelo TRT de Goiás com apoio da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás), no auditório do Fórum Trabalhista de Goiânia. Ele falou sobre o estudo da concausa, suas controvérsias e os valores do estado anterior. O evento foi transmitido ao vivo para estudantes da PUC Goiás.

Na abertura do seminário, a diretora da Escola Judicial do TRT, desembargadora Kathia DSC_0036 (Copy)Albuquerque, falou que o objetivo do encontro é encontrar soluções para redução do número de acidentes do trabalho. “A importância de estar aqui é pela necessidade de procurar saídas, soluções e medidas eficazes para que possamos chegar a ofertar um ambiente seguro no trabalho e reduzir os acidentes de trabalho”, resumiu. Segundo a magistrada, para isso é necessário um envolvimento maior das instituições do governo, do Judiciário, do Ministério Público, dos sindicatos e das empresas.

DSC_0096 (Copy)

Para o gestor regional do Programa Trabalho Seguro, desembargador Eugênio Cesário, o seminário contribui para fomentar a formação da opinião pública e esclarecer sobre os vários aspectos que envolvem essa temática tão importante para a sociedade brasileira. Ele destacou que o Brasil é o quarto país em número de acidentes do trabalho, perdendo apenas para grandes países em nível populacional como a China, a Índia e a Indonésia. O magistrado citou o caso recente de um trabalhador de Jataí, que morreu na última terça-feira (22/9) soterrado por 20 toneladas de milho em um cilo, em condições de trabalho completamente inseguras, situação que segundo ele poderia ser perfeitamente evitável. “Os acidentes decorrem invariavelmente da culpa lato sensu, imprudência, imperícia e negligência”, considerou.

O médico perito João Carlos Arruda, em sua palestra falou sobre a importância do laudo pericial bem elaborado. “O perito são os olhos do juiz. Para que o juiz possa julgar uma ação com fundamento, o perito precisa fazer uma análise criteriosa. Há muitas situações em que o trabalho participa do surgimento e no agravamento de determinadas doenças”, argumentou. Ele também explicou sobre as diversas modalidades de acidentes do trabalho e doenças ocupacionais, o nexo de causalidade, as controvérsias da concausa e criticou a falta de metodologias no Brasil para avaliar a redução da capacidade laborativa do trabalhador em um acidente do trabalho.

O Seminário, que é uma iniciativa da Coordenação Regional do Programa Trabalho DSC_0044 (Copy)Seguro, continua até sexta-feira, 25/9, e vai contar com várias outras palestras relacionadas à promoção da saúde do trabalhador e à prevenção de acidentes do trabalho. Participam do seminário servidores e magistrados do TRT de Goiás, membros e servidores da Procuradoria Regional do Trabalho da 18ª Região, auditores fiscais do trabalho, peritos, profissionais da Saúde e professores da PUC Goiás.

Lídia Neves/Setor de Imprensa/DCSC

Facebooktwitter

Esta matéria tem cunho meramente informativo, sem caráter oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Comunicação Social
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região
comunicacao@trt18.jus.br

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , , , , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.