Juízes Eduardo Thon e Fabiano Coelho assumem coordenação do Cejusc do Fórum Trabalhista de Goiânia

Da esquerda para a direita: juiz Fabiano Coelho e juiz Eduardo Thon

O Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Disputas do Fórum Trabalhista de Goiânia tem novos coordenador e vice-coordenador, que são, respectivamente, os juízes Eduardo Tadeu Thon, auxiliar da 6ª Vara do Trabalho de Goiânia, e Fabiano Coelho, titular da 4ª Vara do Trabalho da capital. Os dois foram empossados na tarde de terça-feira (23/4) durante sessão administrativa do Tribunal Pleno do TRT18 em Goiânia. Os magistrados foram eleitos no último dia 12 pelo Conselho Deliberativo do Cejusc-JT de Goiânia para mandatos de dois anos.

Após as assinaturas dos termos de compromisso nos cargos pelos empossandos, o juiz Fabiano Coelho foi o primeiro a discursar. Segundo ele, o espírito do tribunal de participar para ajudar a fazer melhor foi a motivação para assumir a função de vice-coordenador do Cejusc. “Agradeço pela confiança e me coloco à disposição para auxiliar o juiz Eduardo Thon na missão de coordenar o Cejusc”, ressaltou.

Em seguida, o juiz Eduardo Thon destacou que o Cejusc da Justiça do Trabalho em Goiânia é ímpar no país, primando pelo seu caráter democrático, pois é constituído pela adesão voluntária das Varas que o integram. Além disso, o Cejusc da capital conta com um Conselho Deliberativo no qual os magistrados titulares e auxiliares das Varas que o compõem estão representados. “Todos os juízes das Varas que o constituem têm a oportunidade de atuar na supervisão das audiências, conforme escala previamente fixada, sendo-lhes garantido o pleno exercício da jurisdição consoante suas convicções e entendimentos. Quer pela sua dimensão, estrutura ou eficácia, (o Cejusc) impressiona e inspira aqueles que integram a Política Nacional de Conciliação em outros tribunais” frisou.

Eduardo Thon lembrou que o Cejusc de Goiânia foi recentemente homenageado pela Associação Goiana dos Advogados Trabalhistas (Agatra), o que demonstra o alto índice de satisfação que o centro propicia. O coordenador lembrou que coube ao juiz Israel Adourian, titular da 6ª Vara da capital, a condução do Cejusc nos momentos mais difíceis de sua formação e consolidação. Eduardo Thon também mencionou a contribuição dada pelo juiz Celso Moredo, ex-coordenador do Cejusc.

Último a discursar, o presidente do TRT18, desembargador Paulo Pimenta, frisou que o Cejusc-JT de Goiânia é uma referência nacional e citou o ministro Renato Lacerda, dizendo que em todas as oportunidades que ele tem de se referir à política de conciliação da Justiça do Trabalho e às diversas modalidades distintas de funcionamento de Cejuscs instalados pelo país, o ministro faz um destaque especial ao pioneirismo da 18ª Região.

Paulo Pimenta lembrou que a sistemática de funcionamento do Cejusc de Goiânia implantada pelo desembargador Aldon Taglialegna, durante sua gestão na presidência do Regional, com a instalação de diversas mesas para atendimento às partes, encantou o ministro Ives Gandra, à época corregedor-geral da Justiça do Trabalho, fazendo com que o Cejusc de Goiânia se transformasse numa referência prevista na Resolução 174, do Conselho Superior da Justiça do Trabalho.

Por fim, o presidente do Tribunal também fez um reconhecimento ao trabalho desempenhado pelo juiz Israel Adourian nos anos em que esteve à frente da coordenação do Cejusc. “Ele teve um papel fundamental no rompimento das primeiras resistências que são naturais no surgimento de qualquer novidade de reestruturação. Ele foi um guerreiro ao começar com poucas adesões e deixou o Cejusc de Goiânia com todas as Varas adesas”, salientou. Paulo Pimenta também lembrou as atuações dos juízes Celso Moredo e Luciano Crispim na coordenação do Cejusc. “Contem seguramente com a administração do tribunal naquilo que estiver ao nosso alcance para propiciar a continuidade desse trabalho tão bom que vem sendo realizado”, finalizou dirigindo-se aos juízes Eduardo Thon e Fabiano Coelho.

A posse foi prestigiada por servidores do TRT18, entre eles os conciliadores do Cejusc; pelo advogado e conselheiro seccional da OAB-GO José Humberto Abrão Meireles, que representou a instituição; pelo advogado Jerônimo José Batista Júnior, presidente da Agatra; e pelo servidor e diretor de Cultura e Educação da Asjustego Leandro Cândido de Assunção, representante da associação. Também estavam presentes a vice-procuradora-chefe do MPT-GO Suse Lane do Prado e Silva e a juíza Narayana Hannas, representando a Amatra18.

Visita à Agatra

Visita do novo coordenador do Cejusc à Agatra. Da esquerda para a direita: advogados Danilo Prado Alexandre, Leide Bessa, Guilherme Moreira, juiz Eduardo Thon, diretora do Cejusc Goiânia Leila Barbosa, advogado Jerônimo Batista Júnior, presidente da Agatra, e os advogados Joaquim Cândido Jr, Wellisson Amaral, Cristiane Pavan, Marília Couto e José Humberto Meireles

Após a solenidade de posse, o juiz Eduardo Thon se dirigiu à sede da Agatra no primeiro andar do Fórum Trabalhista de Goiânia. Lá ele foi recebido pelos advogados que compõem a nova diretoria da associação. Thon explicou que decidiu fazer a visita como primeiro ato oficial de sua gestão como coordenador do Cejusc como forma de reconhecimento à advocacia goiana pela colaboração, esforço e trabalho técnico que os advogados têm demonstrado em prol da conciliação.

Wendel Franco
Setor de Imprensa

 

Esta entrada foi publicada em Notícias, TRT18 e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.