Inscrições esgotadas para a 4ª Corrida do TRT de Goiás

Facebooktwitteryoutubeinstagram

corridaA IV Corrida do TRT18 fechou as inscrições nessa quarta-feira, 13/11, com a adesão de 1,5 mil atletas. Este ano o tema escolhido foi “70 Anos da CLT: as conquistas do trabalhador brasileiro e os novos desafios”.

A expectativa é que a 4ª edição da Corrida do TRT, que será realizada no dia 24 de novembro, supere as edições anteriores em número de público. Este ano foram oferecidas 300 vagas a mais do que nos eventos anteriores. A empresa organizadora Sport & Tracks informou a participação de 26 assessorias esportivas.

Entrega de kits

A entrega do kit vai ser feita das 9h às 19h no dia 22 de novembro, no Fórum Trabalhista de Goiânia. Os atletas devem trazer dois litros de leite longa vida que serão doados a instituições filantrópicas. Na ocasião, sete ligas de medicina da PUC-Goiás prestarão serviços como medição de pressão arterial, avaliação do IMC, dicas sobre o que comer antes e depois da corrida, orientação sobre câncer de pele, exame físico cardiovascular entre outros.

A corrida terá os circuitos de 4Km e 8Km. A largada e todo o percurso podem ser conferidos no site da Sport & Tracks (www.stracks.com.br) e todas as fotos do lançamento da corrida, realizado no dia 15 de outubro, podem ser conferidas no facebook do Tribunal: TRT Goiás.

CLT 70 Anos

A Consolidação das Leis do Trabalho – CLT – é a primeira lei geral que se aplica a todos os empregados, sem distinção entre a natureza do trabalho técnico, manual ou intelectual. A importância da CLT na história do direito do trabalho brasileiro é notória pela influência que exerceu e pela técnica que revelou, abrindo o caminho da pacificação social nas relações entre empregado e empregador. Apesar das diversas alterações que o seu texto sofreu, a Consolidação das Leis do Trabalho permanece em vigor no Brasil, e completou em 1º de maio de 2013, setenta anos de vigência.

Um dos principais desafios da Legislação Trabalhista brasileira é o debate em torno da necessidade ou não da flexibilização ou da atualização da CLT. Empresários e sindicatos estão divididos a respeito de quais alterações seriam necessárias e como se dariam essas mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Para os trabalhadores, não se trata apenas de defender a CLT, mas de assegurar os direitos sociais inerentes à legislação, conquistados com muito suor, protesto e resistência.

Facebooktwitter

Esta matéria tem cunho meramente informativo, sem caráter oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Comunicação Social
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região
comunicacao@trt18.jus.br

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.