Tribunal já está conseguindo cumprir 5 das 9 metas estratégicas para 2017

Presidente ressalta importância da realização da RAE

A segunda das três reuniões previstas para este ano para Análise da Estratégia (RAE) foi realizada segunda-feira,11/9, na Presidência. Na ocasião, os gestores examinaram a performance do Tribunal no cumprimento de 9 metas estratégicas para o ano de 2017, definidas pelo CNJ e as específicas da Justiça do Trabalho. Ainda foram examinadas a evolução das metas relacionadas aos objetivos estratégicos da 18ª Região.

O desembargador-presidente, Breno Medeiros, explicou a importância da realização da análise dos indicadores para realizar possíveis mudanças de curso, solucionar problemas e aprimorar os serviços. “É importante a realização da RAE para sabermos quem a gente é, o que estamos fazendo e para onde estamos indo”, ressaltou.

Na análise, foi constatado que 5 das 9 metas apresentam boas expectativas de cumprimento, uma vez que, considerando os resultados parciais obtidos no período de janeiro a agosto, apresentam 100% ou mais de cumprimento. Outras duas, conforme projeção, têm grande probabilidade de cumprimento, alcançando índice acima de 90%.

Gestores acompanham a análise dos indicadores

Apenas uma meta, baixar 90% do total de casos novos de execução no ano em curso, apresenta grau de cumprimento abaixo de 90%. Para reverter o quadro, várias medidas foram discutidas, quando foi ressaltado a importância do TRT para Todos como importante meio de difusão de boas práticas na fase executória, bem como a divulgação do mapeamento do processo de execução de uma vara do trabalho que apresenta um bom índice de execução.

Metas estratégicas do Tribunal

Em relação às metas definidas para atender o cumprimento do plano estratégico do Tribunal, merece destaque a celeridade alcançada na tramitação e solução dos processos de concessão de benefícios para magistrados, cujo tempo médio de tramitação é de apenas 17 dias, bem abaixo da meta estabelecida de 30 dias, e a de concessão de benefícios para servidores que apresentava tempo médio de 29 dias em 2016 e passou para 11 dias, em 2017. A execução orçamentária também foi um ponto forte destacado, excluídos os valores alocados para projetos, até o momento o TRT executou 43,91%.

A agilidade na tramitação dos processos administrativos de aquisição de bens e serviços também passou por sensível melhora. A meta para o ano era a realização de pelo menos 60% das licitações dentro do prazo, sendo que até o momento esse indicador foi de 64,23%.

Governança e Infraestrutura de TI

Em relação ao iGOVTI (TCU), índice de Governança estabelecido pelo Tribunal de Contas da União, que mede o grau de aprimoramento da infraestrutura e a governança do órgão em relação à tecnologia da informação, houve evolução em quatro das cinco dimensões avaliadas, sendo que o  TRT goiano está posicionado em 17º lugar em relação aos 65 tribunais brasileiros, atingindo o nível intermediário com nota 0,64, numa escala que varia de 0,5 a 0,7. Esse indicador era medido a cada biênio sendo que a próxima avaliação seria feita em 2018, contudo, houve alteração do intervalo temporal e, a partir de 2017, o indicador será avaliado anualmente, razão pela qual o Comitê decidiu manter a meta de nível intermediário para o ano em curso para que, de posse dos resultados alcançados, consiga fazer a projeção para os próximos anos.

Já quanto ao IGOVTIC-JUD (CNJ), nível de cumprimento das Diretrizes Estratégicas de Nivelamento Especificadas na Estratégia Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação para o período de 2015/2020, o grau de maturidade alcançado foi de 0,69 (o que coloca o TRT no nível satisfatório, apenas 0,1 abaixo do nível aprimorado que é de 0,70). O Tribunal está posicionado no 2º lugar no grau de maturidade desse indicador em relação aos 24 TRTs e em 7º lugar em relação a 92 órgãos do Poder Judiciário sob o controle administrativo do CNJ.

Análise SWOT
A Secretaria de Gestão Estratégica informou ao final da reunião que as sugestões encaminhas pelos gestores à unidade para a atualização da matriz SWOT já foram compiladas e que passarão por análise, sendo que o resultado será apresentado na terceira RAE, a ser realizada no fim do ano.

Confira no quadro abaixo, a performance do TRT 18 quanto aos indicadores da área fim:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Márcia Bueno
Seção Imprensa – CCS

Esta entrada foi publicada em Gestão, Notícias e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.