Gestão de Riscos

O Escritório de Riscos do TRT da 18ª Região, vinculado à Secretaria de Gestão Estratégica, foi criado por meio da Portaria TRT 18ª GP/DG/SGPE Nº 475/2015 e transformado em Gerência de Processos e Riscos por meio da Portaria TRT 18ª GP/SGPE Nº 3101/2017, com a missão de auxiliar a Instituição na implantação da gestão de riscos.

A unidade tem como principais objetivos disseminar a cultura voltada para identificação e tratamento de riscos e fornecer consultoria interna aos gestores, auxiliando na identificação, análise, tratamento e monitoramento de riscos em processos de trabalho.

O escopo da gestão de riscos pode variar, podendo ser aplicado a projetos, atividades ou ativos específicos, além de poder abranger desde setores e departamentos até unidades organizacionais ou a organização como um todo.

A Gestão de Riscos visa:

  • Proteção do ambiente corporativo;
  • Melhoria contínua da organização;
  • Visão sistêmica;
  • Qualidade e tempestividade das informações;
  • Reduzir as incertezas;
  • Transparência;
  • Dinamismo e interatividade;
  • Melhorar a identificação de oportunidades e ameaças;
  • Estabelecer uma base confiável para a tomada de decisão e o planejamento;
  • Melhorar os controles;
  • Melhorar a prevenção de perdas e a gestão de incidentes.

O objetivo da Gestão de Riscos:

 A Gestão de Riscos é um instrumento de tomada de decisão da alta administração que visa melhorar o desempenho da organização pela identificação de oportunidade de ganho e de redução de probabilidades e/ou impacto de perdas, indo além do cumprimento de demandas regulatórias.

O principal objetivo da Gestão de Riscos é avaliar as incertezas de forma a tomar a melhor decisão possível. De certa forma, toda gestão de risco e toda tomada de decisão lida com esta situação, e os seus benefícios dão as melhores decisões, menos surpresa, melhora no planejamento, na performance e na efetividade, além da melhora no relacionamento com as partes interessadas.

Riscos positivos (oportunidades):

  • Maior disponibilidade, qualidade, desempenho de recursos;
  • Maior eficiência, economicidade;
  • Ganhos financeiros;
  • Preservar/ampliar reputação;
  • Eficácia;
  • Efetividade;
  • Sustentabilidade

Riscos negativos:

  • Indisponibilidade, desperdício ou degradação de recursos;
  • Ineficiência, não economicidade;
  • Perdas financeiras;
  • Piora na reputação;
  • Ineficácia;
  • Inefetividade;
  • Insustentabilidade.

Instituição do Comitê Gestor de Riscos

Política de Gestão de Riscos e de Controles Internos do TRT18

Criação do Escritório de Riscos

Metodologia de Gestão de Riscos do TRT18

 

 

Os comentários estão encerrados.