Gestão de Processos

          O Escritório de Processos do TRT-18ª, instituído por meio da Portaria TRT 18ª GP/DG/SGPE Nº 067/2011, e transformado em Gerência de Processos e Riscos por meio da Portaria TRT 18ª GP/SGPE Nº 3101/2017, tem a incumbência de auxiliar a Instituição na implantação da gestão de processos. Vinculada à Secretaria de Gestão Estratégica, a unidade tem trabalhado com o objetivo de implantar a cultura da gestão de processos na Instituição e otimizando os processos de trabalho.

          Para garantir a eficácia dos processos de trabalho, a Gerência segue um ciclo, o qual possui 5 fases, são elas: Análise, Desenho e Modelagem, Implementação, Controle e Monitoramento e Refinamento.

          Processo é um grupo de atividades realizadas numa sequência lógica com o objetivo de produzir um bem ou um serviço que tem valor para um grupo específico de clientes. A organização que adota a Gestão de Processos alcança maior produtividade, ou seja, suas áreas empreendem menor esforço para a consecução dos objetivos e metas.

           As fases da Gerência seguem o ciclo PDCA (Planejar, Executar, Verificar e Agir), que se trata de um método de melhoria contínua. É projetado para ser usado como modelo dinâmico. A conclusão de uma volta do ciclo dará início ao começo do próximo ciclo, e assim sucessivamente.

                                                           

Cadeia de Valor:

Representa o conjunto dos macroprocessos desempenhados pelo Tribunal a fim de satisfazer as necessidades dos jurisdicionados. Permite a compreensão do fluxo de agregação de valor aos produtos e serviços colocados à disposição dos interessados.

Arquitetura de Processos:

A arquitetura de processos do Tribunal consiste no desdobramento da Cadeia de Valor, com a discriminação dos macroprocessos, processos que os compõem, bem como os subprocessos de cada unidade. Possibilita a estruturação dos processos da organização em diferentes níveis, apresentando o desdobramento dos processos desde a estratégia até o nível operacional.

Macroprocessos:

Grandes conjuntos de atividades pelos quais a organização cumpre a sua missão, gerando valor. Correspondem às funções da organização que devem estar alinhadas aos objetivos de suas unidades organizacionais.

Processos:

Cada macroprocesso engloba vários processos, por meio dos quais são viabilizados os resultados pretendidos pela organização. Tais processos têm início e fim bem determinados, numa sucessão clara e lógica de ações interdependentes que geram resultados.

Subprocessos:

Constituem-se em um nível maior de detalhamento dos processos, que demonstra os fluxos de trabalho e atividades sequenciais e interdependentes, necessárias e suficientes para a execução de cada processo da organização.

Atividades:

Uma atividade compreende o agrupamento de uma série de tarefas, similares e/ou complementares, correspondendo, assim, a um conjunto de tarefas/ações, caracterizada pelo consumo de recursos e orientada para um objetivo definido. As Atividades correspondem a “o quê” é feito e “como” é feito durante o processo.


Os comentários estão encerrados.