Empossados membros do Conselho Deliberativo do Cejusc-Goiânia

Facebooktwitteryoutubeinstagram

O Conselho Deliberativo, do Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Disputas de Goiânia – Cejusc Goiânia, conta agora com novos membros. Em cerimônia realizada às 16 horas desta quarta-feira (4/11), o desembargador Daniel Viana Júnior, vice-presidente do TRT-18 e coordenador do NUPEMEC (Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Disputas), deu posse aos juízes Luiz Eduardo Paraguassu e Narayana Hannas, na condição de representantes dos juízes titulares, Ceumara Soares e Viviane Freitas, como representantes dos juízes substitutos, e Wanda Lúcia Ramos como suplente dos juízes titulares.

Na ocasião, o juiz Eduardo Thon, coordenador do Cejusc Goiânia, ressaltou o pioneirismo do conselho anterior que criou, entre outras coisas, a escala anual de juízes, tornando possível e previsível a participação de todos os juízes no processo de conciliação. Destacou também a promulgação do primeiro enunciado que agrega o entendimento consolidado a respeito da conciliação. O magistrado ainda destacou outro grande feito do Conselho que foi a edição do regulamento do órgão. “É altamente democrática a forma como o Cejusc é conduzido”, reconheceu.

Para Eduardo Thon, o novo conselho tem uma missão diferente que é a de manter e consolidar “e quiçá ampliar as conquistas alcançadas”. Ele informou que o Cejusc Goiânia responde por 10% de todas as conciliações realizadas pelos Centros de Conciliação em todos os regionais trabalhistas. O magistrado mencionou preocupação com o cenário de incertezas diante da restrição orçamentária na Justiça do Trabalho e a possibilidade de revisão da Resolução 174/2016 do CSJT, que trata da conciliação no âmbito desta especializada.

O desembargador Daniel Viana Júnior reafirmou o orgulho que tem do Cejusc Goiânia, que conta com uma das melhores estruturas do país. “É o cartão de visitas do nosso Tribunal”, ressaltou. Ele anunciou a possibilidade de melhoria das instalações do Cejusc com a inauguração do novo prédio do Complexo Trabalhista em 2020 e disse que sempre estará à disposição dos conselheiros.

O presidente do TRT, desembargador Paulo Pimenta afirmou que a Resolução 174/2016 foi concebida e inspirada na experiência da 18ª Região. “A adesão ao Cejusc foi conquistada pelo convencimento, pelo diálogo e pelos resultados alcançados”, disse o presidente. Por fim, desejou êxito aos novos empossados e disse que se empenhará para oferecer uma solução definitiva para as dificuldades das instalações físicas da unidade. “Devemos trabalhar no fortalecimento desse modelo junto ao CSJT e aos demais regionais já que o Cejusc é a porta de entrada da Justiça do Trabalho”, concluiu.

Fabíola Villela
Setor de Imprensa – TRT-18

Facebooktwitter

Esta matéria tem cunho meramente informativo, sem caráter oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Comunicação Social
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região
comunicacao@trt18.jus.br

Esta entrada foi publicada em Notícias. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.