Correição: 16ª VT de Goiânia é destaque no tempo médio de duração dos processos

Facebooktwitteryoutubeinstagram

A 16ª Vara do Trabalho de Goiânia apresentou um desempenho considerado excelente pelo corregedor regional desembargador Daniel Viana Júnior em vários indicadores aferidos durante correição realizada na unidade. Um dos destaques foi o tempo médio de duração dos processos no primeiro semestre de 2020, de apenas 90 dias, o equivalente a 135% no grau de cumprimento da meta específica da Justiça do Trabalho para o primeiro grau. Em 2018, esse tempo foi de 140 dias e, em 2019, de 125 dias. Esse indicador calcula o tempo médio entre o ajuizamento da ação trabalhista e a sentença proferida pelo juiz, considerando tanto os processos no rito ordinário como no sumaríssimo.

Desempenho no IGest
A 16ª Vara do Trabalho de Goiânia alcançou o 8ª lugar no TRT de Goiás entre as unidades da capital com a mesma movimentação processual (1501 a 2000 por ano) no Índice Nacional de Gestão de Desempenho da Justiça do Trabalho (IGest). O índice sintetiza indicadores como acervo, celeridade, produtividade e taxa de congestionamento em relação à força de trabalho com a finalidade de contribuir para o aprimoramento da gestão das Varas do Trabalho do país. Em âmbito nacional, a unidade ocupou a 92ª posição dentre as 655 varas trabalhistas do Brasil com a mesma demanda processual.

Outros números
A Corregedoria Regional constatou que no ano passado a unidade teve um aumento de 11% na movimentação processual (+173), em relação ao ano anterior (2018). Considerando o último triênio (2017/2019), a unidade recebeu, em média, 1836 processos. Já nesse exercício de 2020, devido à pandemia do novo coronavírus, o cenário se mostra incerto para estimar a demanda processual. No entanto, os dados até o mês de julho (835 processos) apontam para uma queda no número de novos processos este ano.

A 16ª VT de Goiânia também foi destaque no cumprimento das metas do CNJ, tendo cumprido as sete metas nacionais no ano passado. Com relação à Meta 3 do CNJ, de manter o índice de conciliação do biênio 2017/2018 (42%), a unidade correicionada obteve grau de 147% de cumprimento, apresentando o índice de 62,8% de conciliações, conforme dados do primeiro semestre deste ano. Em 2019, esse percentual foi de 55%. O desembargador-corregedor, Daniel Viana Júnior, parabenizou as juízas titular e auxiliar pelo esforço e pelos resultados.

Ao final, a magistrada titular, Wanda Lúcia Ramos, registrou os seus agradecimentos à juíza auxiliar Patrícia Carolina Abrão “pela valorosa colaboração na atividade judicante e pela parceria sempre demonstrada nos projetos que visam o aperfeiçoamento da prestação jurisdicional” na unidade. Wanda Lúcia também agradeceu aos servidores da secretaria, destacando a eficiente gestão do diretor Elêus Dâmaso de Lima, a quem atribui, em larga medida, os resultados positivos auferidos na visita correicional.

O desembargador Daniel Viana fez um agradecimento especial aos servidores da Secretaria da unidade pela “valiosa colaboração na execução do Projeto Garimpo” e pediu que continuem dando atenção ao projeto, principalmente diante do atual cenário de pandemia e os consequentes impactos econômicos na população.

Comunicação Social TRT-18

Facebooktwitter

Esta matéria tem cunho meramente informativo, sem caráter oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Comunicação Social
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região
comunicacao@trt18.jus.br

Esta entrada foi publicada em Corregedoria, Notícias, TRT18. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.