Corregedor-geral destaca pioneirismo do TRT de Goiás na conciliação durante reunião com diretores dos Cejuscs

Facebooktwitteryoutubeinstagram

O corregedor-geral da Justiça do Trabalho, ministro Aloysio Corrêa da Veiga, se reuniu na tarde desta terça-feira, 15/9, com os diretores dos quatro Centros Judiciários de Métodos Consensuais de Solução de Disputas (Cejusc) do TRT de Goiás, localizados em Goiânia, Rio Verde, Itumbiara e Aparecida de Goiânia. Na ocasião, o ministro ressaltou o pioneirismo da 18ª Região na conciliação de processos trabalhistas, tendo sido inspiração para outros regionais.

“A 18ª Região tem naturalmente diretrizes já consolidadas com relação ao Cejusc, até inspiradoras para os demais regionais do Brasil”, comentou o ministro no início da reunião ao falar das experiências do TRT Goiás que poderão ser adaptadas e divulgadas entre os outros regionais trabalhistas como boas práticas por meio da Comissão Nacional de Promoção à Conciliação (Conaproc).

O diretor do Cejusc de Goiânia, juiz Eduardo Thon, fez uma apresentação geral sobre os quatro centros de conciliação do Estado e ressaltou o regime de cooperação das Varas do Trabalho com os centros. O magistrado também falou sobre a criação recente do Conselho Deliberativo dos Cejuscs da Justiça do Trabalho em Goiás, que tem a função de uniformizar ações e procedimentos em todos os centros de conciliação.

Eduardo Thon relatou que, com a pandemia, os Cejuscs foram os primeiros a fechar, por conta da aglomeração gerada, mas logo as equipes conseguiram se adaptar e hoje os centros estão funcionando 100% de forma virtual. Ele mencionou os dados estatísticos de abril a junho e ressaltou o percentual de 39% de acordo durante a pandemia. “Nós estamos conseguindo aproximar as partes e julgamos que a experiência tem sido bem sucedida. Nossa expectativa é mantermos parte das audiências de forma virtual, mesmo após a pandemia, para que o jurisdicionado que more em regiões mais distantes também tenha acesso às audiências de conciliação”, comentou.

O ministro também conversou com cada diretor dos demais Cejuscs, para saber o funcionamento e as peculiaridades de cada um, com o juiz Daniel Branquinho, do Cejusc de Rio Verde; Radson Rangel, do Cejusc de Itumbiara; e Fabíola Evangelista Martins, do Cejusc de Aparecida de Goiânia. Também participaram da reunião as secretárias-executivas dos Cejuscs, Leila Barbosa (Goiânia), Ioneci Guimarães (Aparecida de Goiânia) e Bianca Marques (Rio Verde) e parte da equipe da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho, os juízes Rafael Palumbo e Roberta Ferme.

Ao final, o ministro desejou sucesso nos projetos dos Cejuscs e reforçou a importância do princípio da cooperação, consagrado no Código de Processo Civil. “Todos os atores do sistema de Justiça têm que participar cooperando, dentro dos primados da boa-fé e da ética, para conseguirmos o nosso ideal de justiça”, destacou. “Estou muito feliz com a atuação dos senhores e vamos continuar com essa estrutura para aprimorarmos cada vez mais”, finalizou.

Comunicação Social TRT-18

Facebooktwitter

Esta matéria tem cunho meramente informativo, sem caráter oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Comunicação Social
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região
comunicacao@trt18.jus.br

Esta entrada foi publicada em Corregedoria, Notícias, TRT18. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.