Coordenação Nacional inicia homologação da versão 1.12.1 do PJe-JT

ASO2A2476A Coordenação Nacional do Processo Judicial Eletrônico da Justiça do Trabalho (PJe-JT) iniciou nesta segunda-feira (2) a homologação da versão 1.12.1 do PJe-JT. Ao longo das próximas duas semanas, seis usuários do PJe dos mais diferentes perfis farão testes e monitoramento para garantir o funcionamento correto do sistema.

Para o coordenador Nacional do PJe-JT, juiz Fabiano Coelho de Souza, do Tribunal Regional do trabalho da 18ª Região (GO) e juiz auxiliar da presidência do CSJT/TST o processo de homologação é importante para garantir que, caso se detecte alguma inconsistência, a correção seja feita antes que os Tribunais Regionais do Trabalho comecem a utilizar a ferramenta. “Tudo será testado e, se for o caso, corrigido, antes da distribuição aos TRTs.”

A nova versão possui cerca de 110 correções e promete melhorar a performance do sistema, um dos pontos mais reivindicados pelos usuários. Outro ponto que recebeu correções e melhorias foi a ferramenta “plantão no 1º grau de jurisdição”, que permite a concentração, no sistema, de uma Vara do Trabalho responsável pelo plantão judiciário, dispensando o cadastramento do magistrado em todas as unidades da Região para tal finalidade.

Perspectivas para novas versões
De acordo com o coordenador, a versão 1.13, que trará novas funcionalidades, também já está em andamento e poderá ter funções para facilitar a aplicação do Novo Código de Processo Civil (NCPC).

image_gallery

Reunião para iniciar os trabalhos foi realizada no dia 4 de maio

Desafios
Apesar dos cortes orçamentários, o coordenador nacional do PJe-JT afirma que “estão sendo feitos todos os esforços possíveis para garantir aquilo que é o essencial para a manutenção do sistema ”. Entre os contratos que foram mantidos está a estrutura de rede, além de ferramentas de segurança e monitoramento, de modo a permitir o funcionamento do PJe-JT, sem prejudicar os usuários do programa.

Equipe

A equipe responsável pela homologação é composta pela juíza do trabalho Alciane Margarida de Carvalho (TRT18), pelo secretário de Turma, Flávio Antônio Medeiros Lula (TRT10), pelo diretor de secretaria, Felipe Rondon da Rocha (TRT18), pelo oficial de justiça Rogério Ramalho Vieira (TRT-10), e pelas servidoras Joléa Maria Rebelo Leite e Maria Madalena Oliveira de Brito Cunha (TRT5).

Fonte: TST

Ouça abaixo a notícia veiculada na Rádio Web TRT Goiás.

 

Esta entrada foi publicada em Notícias, TRT18 e marcada com a tag , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.